OPINIÃO – Buracos e mais buracos

2
3

Esta é a realidade da Rua do Ramal de Chelo que liga a Rebordosa a Lorvão no Concelho de Penacova. Para quem não sabe um pouco da história do Mosteiro e da importância que a Rua do Ramal de Chelo tem para o mesmo tenho o prazer de informar que a Vila do Lorvão é a localidade onde se encontra O Mosteiro de Lorvão um dos mais antigos da Europa, já que a sua fundação remonta a meados do século sexto, de acordo com as memórias relatadas pelos cronistas monásticos, corroboradas por uma pedra de ornato visigótico que se encontra incrustada na torre dos sinos e o Ramal de Chelo é uma das ligações que provem da primeira estrada verde de Portugal.

A estrada com nome de Rua do Ramal de Chelo encontra-se em obras há mais de 16 meses, está com valas abertas, algumas com bastante profundidade, dificultando a passagem dos peões, bem como da centena de veículos que por ali passam diariamente, incluindo os transportes escolares. Nem as camadas de terra e de “entulho” que alguns populares colocam nas referidas valas para minimizar os saltos que os veículos dão ao passarem resiste mais que meia dúzia de horas, para já não falar nas “novas” tampas de saneamento que se encontram alguns centímetros abaixo do nível da estrada, dos buracos com diâmetro bastante considerável que colocam em risco quem por lá circula, onde ainda vai resistindo alguma sinalização que por lá ficou desde que o empreiteiro deixou de dar sinal e a obra se encontra abandonada.

O Ramal de Chelo dar cabo dos nervos e do alforge dos automobilistas, tanto a nível dos danos que provoca nas viaturas, como nos automobilistas.

O Sr. Presidente da Câmara Municipal há cerca de 3 meses afirmou a um Jornal em resposta a um artigo que escrevi, que a obra estava concluída em duas semanas e que tinha conhecimento que a empresa se encontrava na falência.

Pois bem, nem obra concluída nem sinais do empreiteiro a quem a obra foi adjudicada nem o Sr. Presidente da Câmara Municipal falou a verdade.

Dói bastante quando temos de passar por lá, algumas centenas circulam naquela estrada abandonada de forma “criminosa” diariamente mais que uma vez.
Chega de mentiras e de buracos!

Jorge Neves

2 COMENTÁRIOS

  1. Sr. Neves, como também utilizo esse troço de estrada estou plenamente solidário consigo, mas pode, também, pedir explicações ao presidente da junta de freguesia de Lorvão. Sim, porque os valentes milhares de euros (mal) gastos naquela nova estrada que liga S. Mamede á EN110, sem utilidade e extremamente perigosa de Verão ou Inverno, podiam muito bem ter sido gastos em arranjar a ligação Rebordosa/Chelo.

  2. Meu caro Manuel, se pretender continuar a ver os seus comentários, terá que optar por partilhar o seu perfil. Não é justo que os autores dos textos se identifiquem e os comentadores não o façam. É uma falta de respeito para com quem se preocupa em escrever e partilhar, as suas preocupações, independentemente de serem ou não consensuais.

    Atenciosamente

    Pedro Viseu

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui