Novo site da Junta de Freguesia de Carvalho

3
3
A Junta de Freguesia de Carvalho tem um novo site. Está de Parabéns por isso! Já estava na hora… Mas não pode ser só o site. Não podemos ficar só pela imagem, pelas palavras, pelos debates… Continuem com o Trabalho, Bom trabalho. A freguesia de Carvalho tem sido sempre muito esquecida pelo Concelho, e não só!

Não levem isto como uma crítica, mas como um desabafo. Apesar de nascer primeiro o Sol deste lado, todos nos apelidam de “trás da serra”… porque sempre fomos vistos como os mais pacatos, mais simples, mais escondidos pelos pinheiros mansos da bonita serra do Bussaco, que agora os madeireiros destroem e massacram sem respeito pelas árvores que ainda estão e merecem estar vivas, como cedros, azevinhos… Árvores que sendo respeitadas quase que reflorestavam novamente a Serra.

Sou do tempo em que alguém ter a Profissão de Madeireiro, além de ganhar dinheiro para sustento, era Respeitar a Natureza!
Não sou velha, nem antiquada! Tenho 30 anos. Cresci na Serra, a apanhar lenha, feto, flores, a brincar nos moinhos da Portela de Oliveira. A guardar ovelhas e cabras com as minhas Avós e a apanhar o autocarro para Penacova, no Cruzamento da Portela da Oliveira, às 6 da manhã. Andava-se a pé e falava-se com as mulheres que cortavam as acácias e ganhavam o salário que o Estado lhes pagava.
Gostava que os meus filhos tivessem a sorte que eu tive. De ver a Natureza e de poder aprender a Respeitá-la.
Hoje, faço o mesmo trajecto todos os dias, desta vez de carro, já não tenho tempo para olhar para o chão para ver os bichos do pinheiro a fazer carreirinhas pelo alcatrão, mas sinto os balanços do carro quando o pneu cai num buraco feito pelos madeireiros.
Sou conterrânea. Tenho muito gosto em pertencer a Carvalho. Terra onde viveu o famoso Marquês de Pombal. Mas a nossa Terra tem tanto para explorar. Sou apologista de que as nossa ribeiras devem estar limpas, as nossas pontes à mostra (temos uma ponte estilo romana no pontão de Gondelim). A Portela de Oliveira deveria ser um Cruzamento respeitado, as povoações necessitam de sinalização, passadeiras, bermas. Temos escolas fechadas sem uso nenhum (ex.: escola da Mata, está fechada, quando podia servir para sede de uma associação, etc…).
A Batalha do Bussaco começou em Gondelim, antes chamado Vila Verde, passou por Santo António do Cântaro, onde também pernoitou uma das frentes (coisas que pouca gente sabe). Isto deveria estar sinalizado. Afinal de contas, a Batalha do Bussaco passou-se toda nos Concelhos de Penacova e Mortágua. Não houve um único tiro documentado na Mealhada e esta é que ficou com os louros!
Existia uma aldeia ao lado de Sto. António do Cântaro que só tinha uma casa, que era o Sobral. Onde está o Registo? Quem se lembra? Quem se vai lembrar, um dia, da Ouraça? E de Caldures, apelidada da Ilha dos Cucos? Pois é, sou apologista de registarmos a História Presente para não fazermos parte do Passado!
Votos de Confiança e Cumprimentos ao Presidente da Junta e a todos os que dela fazem parte.

Por Sónia Baptista

3 COMENTÁRIOS

  1. O que seria dos políticos e das pessoas, se não fossem às vezes interpelados por desabafos como o da senhora. Muito se fez em Carvalho, mas muito mais haverá para fazer. Coragem, é o que falta a muita gente, para dizer o que é preciso. Bem haja por ter conseguido dizer o que lhe vai na alma.

  2. Quem sabe se a Sónia não seria a pessoa ideal para colaborar, com a Junta, na reabilitação desse passado de que ela, no seu texto, tantas saudades tem?
    Às vezes, a comunidade de que falamos, tem "escondidas" pessoas que demonstram gostar o suficiente da sua terra para darem o seu contributo, em prol do seu desenvolvimento e da afirmação da sua identidade.

  3. Sim, Sónia concordo com tudo o que escreves-te, tudo aquilo que te vai na alma e sai do fundo do teu coração. Não nasci, nem cresci em Carvalho, mas quis o destino que viesse viver para uma aldeia pertencente a esta Freguesia, e sim concordo contigo quando dizes que a Freguesia de Carvalho sempre foi esquecida pelo nosso Concelho, sim porque agora também é meu. Haja alguém que faça muitas mais coisas pela freguesia, e vamos perservar aquilo que de bom os nossos antepassados nos deixaram, vamos fazer por melhorar não só no papel, mas também nas nossas ações.