Sim, eu acredito!

0
4
Acredito, que esta vitória do PSD não aconteceu por acaso! E mais, acredito que o facto do Eng.º Maurício, apesar de estar  colocado em quinto lugar na lista de deputados e ter sido eleito, é sinal da força que o anima para as grandes batalhas e da oportunidade que consegue descobrir, em cada momento. Eu, que o acompanho há muitos anos, que conheço um pouco do seu interior, nunca me abstive de dar a cara por ele, porque reconheço nele o humanismo, a inteligência, a coerência, o rigor e a integridade que fazem dele um homem com H grande.
Pela primeira vez em trinta e sete anos de democracia, elegemos um homem do nosso concelho e que conhecendo como o conheço, vai “dar o litro” pelo Distrito que o elegeu e vai ter uma atenção especial pela nossa terra. Acredito, que vai lutar com todas as armas ao seu alcance, pelo melhor para Penacova e acredito, que aquela simplicidade e humildade que o caracterizam e que o fazem estar pronto a reparar qualquer coisa que se tenha estragado vão-se manter, apesar da dignidade e honra do cargo para que foi eleito, o de Deputado da Nação.
É preciso agora dar tempo ao tempo, pois nada se faz da noite para o dia. É preciso unir, é preciso acreditar e no fundo até reconhecer, que o que está pela nossa frente não é uma tarefa fácil. O Eng.º Maurício vai fazer parte de uma equipa que vai ter que mostrar serviço rapidamente. Certamente terá uma legislatura de quatro anos duríssima, em que o principal trabalho, será o de colocar Portugal no rumo certo a trilhar caminhos de esperança, assumindo e honrando os compromissos anteriores, dando-nos credibilidade e emprestando ao país as reformas necessárias, a reestruturação das empresas do estado e acabando com uma grande parte das parcerias público privadas.
Na minha opinião, vai ser preciso fazer pequenas revoluções, alterar leis e em alguns casos retirar as imensas virgulas que as mesmas têm. A Constituição vai ter que ser revista, sob pena, de continuarmos presos a um documento retrógrado, com imensas lacunas e com bastantes incoerências. As leis, têm que claramente e com transparência definir o que se pode ou não fazer. Extinguir os Governos Civis, criar mecanismos que não deixem ao livre arbítrio dos Presidentes de Câmara a colocação de pessoal político, reorganizar as Freguesias ou uni-las em agrupamentos, elegendo um só Presidente de Junta, com comissões locais nas Freguesias eliminadas, nomeadas pelos Presidentes de Junta e sem remuneração efectiva.
É preciso poupar e descentralizar. É preciso que mais tarde se regionalize, mas de uma forma solidária e transversal ao país, unindo o interior ao litoral, as regiões mais ricas às mais pobres. É preciso realmente começar de novo e se alguém disse um dia e “por isso se calhar foi-se embora, para outro cargo mais importante, que o país estava de tanga”, pode-se ouvir hoje dos principais economistas deste país que o país está de “fio dental” e por isso, serão precisos muito mais deputados como o Eng.º Maurício, que ajudamos a eleger em Penacova.
Este governo que vai ser criado e esta nova Assembleia da República constituída, vai ter um enorme trabalho pela frente. Ainda por cima, nem vai ter o tempo do chamado “estado de graça”, porque não há tempo a perder, porque não se podem cometer erros e porque agora, que foi conseguido o sonho de Sá Carneiro, “Um Presidente, um governo, uma maioria”, só têm é que “arrepiar caminho” fazendo de cada dia, um novo dia de trabalho, esquecendo o pessoal em prol do plural.
Quanto ao Maurício ao nosso Maurício, eu que pertenço ao leque daqueles que ainda acreditam e que não escondem a cara atrás de máscaras, “tão usuais em Penacova”, só quero dizer, que ainda há muita gente que reconhece e reconheceu o seu trabalho e por causa disso não estamos num concelho como muitos outros, onde o pedido de saneamento financeiro, “que no fundo é como se chamasse o FMI às Câmaras Municipais” será em breve a única solução de sobrevivência e outros Municípios que, pela imitação que fazem da “gestão Socrática” para lá caminham, se nada se fizer para que se inverta o caminho.
Eu acredito que vamos conseguir sair deste buraco, eu acredito que os nossos credores voltarão a ganhar confiança, acredito que é possível viver melhor mesmo que com algumas dificuldades, desde que saibamos que depois de um PEC não virá um novo PEC e que a seguir à tempestade virá a bonança. Sim eu acredito no Passos Coelho, acredito nos deputados de Coimbra em especial, por isso também acredito que vão conseguir voltar a colocar este distrito no lugar que merece e de onde tem sido escorraçado a nível Nacional. Sim, eu acredito e acreditar é meio caminho para se conseguir, por isso, hoje sinto-me um homem feliz!