Alunos de Penacova podem perder ajudas no transporte para Coimbra

0
4
Receios dos encarregados de educação já motivaram um abaixo-assinado, que foi entregue na Assembleia Municipal. Autarquia ainda não tomou nenhuma decisão


A Câmara Municipal de Penacova ainda não tem uma decisão tomada, mas os pais e encarregados de educação de alunos que estudam em Coimbra, oriundos, nomeadamente de Aveleira, São Mamede, Paradela e Roxo, temem que o transporte deixe de ser comparticipado.

Já depois de alguns contactos, vários encarregados de educação mostraram o seu desagrado na Assembleia Municipal do último sábado, onde entregaram um abaixo-assinado em que reivindicam a manutenção do que consideram ser um direito adquirido.

O documento foi assinado por 14 encarregados de educação de 21 crianças e jovens, explicando, no texto introdutório, que as povoações em questão, têm «maior proximidade a Coimbra», sendo a cidade «onde 90% das pessoas tem o seu emprego, permanece durante o dia e pretende estar o mais próximo possível dos seus filhos».

O primeiro subscritor do abaixo-assinado, Luís Gonçalves, disse ontem ao Diário de Coimbra que «tudo aponta no sentido de que os passes deixem de ser comparticipados pela câmara», frisando que se trata de uma situação que penalizará os encarregados de educação em valores que ascendem aos 44 euros por educando.

Segundo este pai, o acordo da autarquia com a Transdev vem do anterior executivo, celebrado na altura em que os Transportes Urbanos de Coimbra deixaram de servir a Aveleira.

O próprio revela que, «da parte da Câmara Municipal de Penacova, ainda não há decisão», mas refere a existência de vários indicadores no sentido de que o apoio será cortado, nomeadamente o facto de ter sido auscultada a Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas de Penacova, onde, como refere, «quase não há pais oriundos destas localidades».

O presidente da autarquia disse ao nosso jornal já ter «um princípio definido» para este caso em concreto, contudo, referiu que há necessidade de serem auscultados vários agentes ligados à educação, trabalho a cargo do vereador Ernesto Coelho, que ainda não está completo.

Humberto Oliveira explicou que há necessidade de «olhar para o quadro geral, antes de tomar uma decisão», referindo que vai analisar a questão, tendo em vista o interesse geral dos munícipes e não de alguém em particular.

O autarca disse ainda que, das diligências já efectuadas, verifica-se que «há uma razão histórica» para a comparticipação dos passes, que remonta a uma altura em que a «escola de Penacova estava sobrelotada e era preciso promover e apoiar» a ida dos alunos para outros concelhos, nomeadamente Coimbra».

Neste momento, denunciam os encarregados de educação, o Agrupamento de Escolas de Penacova, «tem falta de alunos e há turmas a serem extintas», justificando assim a sua opinião de que a tendência é de não haver apoios para transporte no próximo ano lectivo.

Humberto Oliveira só garante que serão feitas alterações, prometendo que, tendo em conta que o processo de recolha de informações está atrasado, no próximo ano lectivo, «não haverá mudanças radicais».

José Carlos Salgueiro – Diário de Coimbra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui