“Gestão Alimentar – Bem Gerir para Bem Viver” – uma das acções do Plano de Acção do NLI de Penacova.

0
3
Gestão Alimentar – Bem Gerir para BemViver” é uma das acções do Plano de Acção do NLI de Penacova.
A Acção tem como objectivos melhorar a gestão dos alimentos recepcionados do  programa PCAACPrograma Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados e sensibilizar para a Obesidade e co-morbilidades.
Os públicos-alvo são os beneficiários de RSI e os técnicos, que os acompanham, no âmbito do PCAAC. Os conteúdos desenvolvidos são: a recepção (incluindo Leitura de rótulos), armazenamento, preparação, variedade de utilização e equivalentes alimentares, dos produtos do programa. Foi realizado um diagnóstico de necessidades sobre as competências do público-alvo relativas aos conteúdos acima descritos, através da aplicação de pré-teste e pós-teste em contexto de formação. Do diagnóstico sobressaiu a necessidade de aquisição destes conhecimentos devido à falta de competências na área. A monitorização anual tem mostrado uma evolução favorável.
O NLI de Penacova desenvolve desde 2008 uma acção de Gestão Alimentar integrada no PCAAC- Programa Comunitário Ajuda Alimentar a Carenciados para os beneficiários de Rendimento Social de Inserção. Estes beneficiários são pessoas em situação de dependência social e financeira, na maioria das situações com um nível de escolaridade baixo e baixa acessibilidade à educação para a saúde e aos cuidados de saúde. Este grupo populacional tem maior prevalência de obesidade e co-morbilidades associadas.
Partindo destes pressupostos, esta acção tem como objectivo actuar sobre a “Baixa acessibilidade à formação e informação” fornecendo e/ou aumentando conhecimentos mínimos na área da “Gestão Alimentar”, tendo como base os géneros alimentícios do PCAAC.

Acção: Gestão Alimentar – Bem Gerir para Bem Viver
Finalidades:
Rentabilizar a utilização dos produtos fornecidos pelo PCAAC, qualitativa e quantitativamente e contribuir para “Diminuir a incidência e a prevalência de doenças crónicas degenerativas (nomeadamente da préobesidade e da obesidade) através da adopção de medidas integradas de prevenção primária.”
Metas:
1. Desenvolver uma acção de educação integrada no seguinte procedimento: “realizar todas as acções necessárias à distribuição dos géneros alimentícios aos beneficiários, designadamente as de planeamento, de formação/informação e de acompanhamento/verificação junto das entidades/instituições que participam na sua execução”
2. Desenvolver um programa de educação para a saúde em alimentação, incluindo diagnóstico inicial, produto das Medidas no âmbito da Comunicação/Informação/Investigação/Educação e Formação, integrado na Prevenção Primária das Estratégias de intervenção definidas pela Plataforma Contra a Obesidade, contribuindo para 2 das Metas preconizadas pela Carta Europeia de Luta Contra a Obesidade, subscrita pelos Estados-Membros da Organização Mundial de Saúde-Europa.
Objectivo geral:
Estabelecer procedimentos, seguidos pelos Parceiros, na área da “Gestão Alimentar” aplicada aos produtos distribuídos pelo PCAAC, com vista a desenvolver competências e hábitos saudáveis alimentares nas famílias beneficiárias do RSI (com rentabilização dos produtos) e contribuir para a diminuição da prevalência da obesidade e respectivas co-morbilidades.
Objectivos específicos:
1. Saber gerir os alimentos recepcionados do PCAAC;
1.1- prolongar a durabilidade temporal dos alimentos distribuidos;
1.2- manter a Qualidade Alimentar, definida pelos mesmos produtos;
2. Tornar a alimentação diária mais Racional;
3. Contribuir para a diminuição da prevalência do IMC>25 e Co-morbilidades associadas.
Metodologia:
Em 2008, em Penacova, fez-se um Diagnóstico de Necessidades recorrendo à formação para beneficiários do RSI seleccionados com critérios predefinidos e com recurso à entrevista e aos técnicos do NLI. A formação para beneficiários, dividiu-se em 2 acções, que contemplaram 20 famílias, com a duração de 12 horas, e os conteúdos desenvolvidos foram: a recepção (incluindo leitura de rótulos), armazenamento, preparação, variedade de utilização, equivalentes alimentares, culinária saudável e higiene pessoal. A formação para 14 técnicos, consistiu numa acção, com as mesmas características anteriores adaptada ao grupo. Realizou-se a avaliação da Evolução de Conhecimentos e Diagnóstico de Necessidades de formação. A partir dos dados recolhidos foi possível estabelecer um protocolo de procedimentos para agilizar a intervenção futura.
A partir de 2009, a abordagem integrada desenvolveu-se em intervenções anuais na altura da recepção dos alimentos com a seguinte ordem: sessões para técnicos; distribuição de panfletos no momento da distribuição dos alimentos; acção de sensibilização para todos os beneficiários com aplicação de Inquérito de satisfação;
concepção de colectânea de Livros sobre os produtos do PCAAC.
Em 2010 a intervenão foi realizada com os NLI dos Concelhos de Penacova e Mira, abrangendo ainda as Equipas de Protocolos de RSI dos Concelhos de Coimbra, Figueira da Foz, Oliveira do Hospital e Tábua.
Resultados:
No Diagnóstico de Necessidades verificou-se evolução de conhecimentos em ambos os grupos-alvo e aquisição de novos hábitos alimentares, que predominaram 6 meses após a formação (dados recolhidos do inquérito realizado). Do Diagnóstico de Necessidades de formação surgiram os temas que são a base da acção anualmente definida.
Anualmente é feita uma sessão de reciclagem para técnicos e uma acção de ensibilização para beneficiários.
Nesta última é dado um inquérito de satisfação que permite avaliar vários parâmetros como, interesse da acção, aquisição de novos conhecimentos, alteração de hábitos alimentares, aumento da duração dos produtos no domicílio e sugestões. De 2008 para 2010 verificamos um rejuvenescimento dos beneficiários e melhoria da percepção sobre a forma de intervenção do PCAAC e para quem se destina. Houve uma maior centralização da atenção sobre novos conhecimentos e aplicação de conhecimentos adquridos em anos anteriores, aumento da rentabilização dos produtos, melhoria no aproveitamento e vontade de realizar outras actividades paralelas a esta acção.
Conclusão:
O Diagnóstico mostrou necessidade de aumento de competências em “Gestão alimentar”, tanto dos técnicos como dos beneficiários. A monitorização anual tem mostrado que há interesse nessa aquisição e que é possível haver mudança consistente. As acções de sensibilização constituem um reforço e promoção de atitude crítica face à rentabilização e qualidade dos produtos alimentares PCAAC e uma maior responsabilização na gestão doméstica dos beneficiários do RSI.