MATA DO BUÇACO quer ser a Casa do Dia Mundial da Floresta

0
4
O crescimento e dinamização da Mata Nacional do Buçaco operada em 2011 sustentam uma estratégia ambiciosa para o novo ano na afirmação da oferta turística e, nesse sentido, acolher as comemorações oficiais do Dia Mundial da Floresta será um dos exemplos mais emblemáticos dessa aposta.



2012 será um ano importante de concretizações para a Mata Nacional do Buçaco. Obras de recuperação e revitalização de infraestruturas e programas de atividades atrativos completam a afirmação da Mata enquanto polo de atração turística a nível regional, nacional e internacional. 

A criação de um Centro Interpretativo; a transformação de quatro Casas Florestais em unidades de alojamento turístico; a criação de um miradouro virtual e de guias multimédia; a recuperação dos trilhos da água, das portas de entrada da mata e do Convento de Santa Cruz; o melhoramento da sinalética e o estabelecimento do controle automático de entradas são alguns dos grandes marcos de 2012.
O plano de atividades preparado a pensar quer na comunidade local quer em visitantes de todo o país e do estrangeiro, fazem de 2012 o ano de afirmação deste Património Nacional de Interesse Público que tem, ainda, verdadeiras relíquias da floresta autóctone portuguesa. Por essa razão, ações remuneradas visando a Sustentabilidade Florestal, como a iniciativa “Manter a Mata do Buçaco Sustentável, combater as invasoras lenhosas”, destinada a jovens voluntários dos 18 aos 30 anos sustentam o desejo, já comunicado à Ministra da Agricultura, de a Mata Nacional do Buçaco ser escolhida para receber as comemorações oficiais do dia Mundial da Floresta 2012. 
Em 2011, a Fundação Mata do Buçaco (FMB) preparou o caminho para crescer em 2012. Foi o caso do projeto BRIGHT (Bussaco´s Recovery from Invasions Generating Habitat Threats), financiado pelo Programa Comunitário LIFE +, e que envolve um investimento total de 3 milhões de euros na preservação da flora nativa. 
A candidatura ao PRODER, visando a transformação das Casas Florestais em unidades de alojamento turístico e prevendo também a criação de um miradouro virtual e a produção de guias multimédia, perfazem um total de 3,3 milhões de euros de investimento direto no património natural e edificado da Mata.

Neste ano que termina, acrescem a programação de três ações de grande impacto dirigidas a visitantes – Conferências do Bussaco, Sement Event e os Seminários Técnicos sobre Plantas Invasoras – financiadas pelo Fundo Florestal Permanente, num total de 50 mil euros, juntam-se ao leque de atividades realizadas pela FMB que permitiram gerar receitas para garantir a contrapartida nacional dos financiamentos comunitários.

Ao longo de 2011, não esquecendo a gestão diária do património edificado e florestal, bem como o regular funcionamento da instituição, a FMB promoveu várias atividades de envolvimento com a comunidade local: a Mata foi à Escola mais de uma dezena de vezes, sensibilizando os mais novos para as questões da cidadania ambiental, foram realizadas 26 ações de sensibilização e voluntariado jovem e plantadas mais de 4.000 árvores de espécies autóctones, cujo resultado é já visível na zona do Pinhal do Marquês.

A Fundação acolheu, ainda, 7 reclusos do Estabelecimento Prisional de Coimbra que apoiaram os trabalhos da Mata nas áreas de preservação ambiental e construção civil, no âmbito do protocolo estabelecido com a Direção-Geral dos Serviços Prisionais, em abril de 2010.

Em 2011, a Fundação finalizou, também, 4 candidaturas a apresentar ao QREN com a colaboração da Universidade de Aveiro, da Universidade de Coimbra e da Fundação Ricardo Espírito Santo Silva. O financiamento alcançado através destas candidaturas será vital para a recuperação do património – Convento de Santa Cruz do Buçaco, Capelas da Via Sacra, sete Ermidas de Habitação e Projeto de Condicionamento de Trânsito – e permitirá reforçar o potencial de atração turística deste local. Com este objetivo foram ainda realizadas atividades estruturantes, como a implementação de um Ponto de Informação Turística, a formação de 21 monitores, com o apoio do Turismo de Portugal e a criação do Trilho da água, com o apoio da Fundação do Luso.

A abertura ao público do Convento de Santa Cruz do Buçaco, a criação da Loja de produtos da Mata e as obras de recuperação e de infraestruturas do edificado da Mata Nacional do Buçaco, reforçarão o potencial de atração turística.

Em 2011, a Mata Nacional do Buçaco foi visitada por mais de 200 mil pessoas, que garantiram cerca de 80% do orçamento da FMB. Com uma gestão responsável, reconhecida pelo Prémio Empreendedorismo da Fundação Luso, foi possível ainda criar 20 postos de trabalho direto, empregando jovens da freguesia do Luso e do concelho de Mealhada.

Em suma, o trabalho realizado pela Fundação Mata do Buçaco em 2011 assentou numa gestão sustentável que permitiu criar as condições necessárias para afirmar a Mata Nacional do Buçaco no panorama turístico regional, nacional e internacional.


* Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico por Cândida Sá