Padre Laudo, acumula paroquialidade em cinco freguesias

0
2
No passado Domingo, dia 8 de Janeiro, o Padre Laudo Corrêa acumulou a paroquialidade de Sazes e de Figueira de Lorvão, continuando a acompanhar pastoralmente as comunidades de Penacova, Carvalho e Friúmes, no arciprestado de Penacova.
A apresentação do novo pároco a estas comunidades foi conferida pelo Vigário Episcopal para a Região Pastoral Centro, Cónego Sertório Martins, durante as Eucaristias, nas duas paróquias (14h00 e 16h00, respectivamente), presididas pelo novo pároco e também concelebrada pelo padre Luís Costa.
Depois da leitura do “decreto de nomeação”, promulgado pelo Bispo de Coimbra, D. Virgílio Antunes, o Vigário Episcopal dirigiu uma “fraterna saudação” a todos os cristãos que participaram na celebração. E, numa sucinta apresentação do Padre Laudo Corrêa, apontando “as qualidades humanas e cristãs”, sublinhou o seu trabalho pastoral noutras paróquias e em movimentos apostólicos.
“Ser padre não é uma tarefa fácil”, afirmou o Padre Laudo na mensagem que dirigiu às respectivas comunidades, depois de saudar os cristãos e autoridades presentes nas cerimónias de posse realizadas em Sazes e Figueira de Lorvão. Salientando que para ser padre “é necessário deixar tudo e entregar-se completamente nas mãos do Senhor pela vocação, força e fé, muita fé”, o sacerdote lembrou que “o Padre não é o caminho, mas sim uma seta ou sinal, que aponta o verdadeiro Caminho que é Cristo Jesus”. Dizendo querer “ser um bom pastor”, o padre Laudo afirmou que obedecendo ao Plano Diocesano de Pastoral, “coloco-me à disposição das paróquias entregues à minha responsabilidade” e “em consciência e fiel à promessa de obediência ao digníssimo Bispo desta querida Diocese de Coimbra, vou procurar sempre a justiça e o bem da comunidade, visando sempre a humildade e a colaboração efectiva na busca do bem maior das pessoas que servimos”.
Na sua mensagem, o sacerdote lembrou o seu antecessor, dizendo: “agradeço e louvo ao Deus-Filho, pela vida e ministério sacerdotal do Pe. Manuel Augusto Frade, pelo brilhante trabalho, que aqui desenvolveu durante um ano e um mês de missão, e que demonstrou na sua acção no amor e zelo por esta Igrejas Paroquial, nas suas dimensões: espiritual, pastoral e social. Envio-lhe um forte abraço como sinal da minha grande admiração, pelo testemunho de fé e agradeço a amizade e acolhimento que têm manifestado para comigo”.
No final, o novo Pároco, o Vigário Episcopal, os padres concelebrantes e elementos dos Conselhos Económicos e paroquianos assinaram a acta da “tomada de posse”, seguindo-se os cumprimentos e um momento de convívio.