BOMBEIROS – Esperança no futuro apesar dos cortes na receita

0
2

Nova direcção dos Bombeiros de Penacova toma posse amanhã e mantém vários projectos, embora as receitas do transporte de doentes tenha caído para metade


Paulo Dias toma amanhã posse como novo presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Penacova, encabeçando uma direcção de continuidade, como o próprio reconhece, uma vez que já era vice-presidente.

«A direcção irá ser constituída, essencialmente pelos mesmos elementos, havendo a entrada de duas ou três pessoas para os órgãos sociais e passando o actual presidente da direcção, António Miranda, para a Assembleia- -Geral», explicou.

No que diz respeito ao futuro, revelou que se trata de «um projecto a três anos, com perspectivas de continuidade», mas adiantou a necessidade de serem feitas adaptações a uma realidade mais difícil do ponto de vista financeiro.

De acordo com Paulo Dias, «há necessidade de fazer alguns ajustamentos», no sentido em que uma das principais fontes de rendimento, o transporte de doentes não urgentes, «sofreu uma quebra de 50 por cento, que é preciso colmatar». «Era um dinheiro que usávamos para fazer investimentos e equilibrar as contas», garante, mostrando-se confi ante de que «a protecção civil não deverá sofrer os cortes que queriam fazer, até porque não é um mal menor, é um bem maior». Neste contexto, Paulo Dias diz “agarrar” o desafio com «optimismo e alguma esperança», e com vontade de encontrar novas fontes de rendimento, até porque «não podemos pensar que o município será sempre a tábua de salvação».

A prova de que a corporação não tem baixado os braços, apesar da crise, está na concretização, com recurso a candidaturas a fundos comunitários, de vários projectos e aquisição de equipamentos necessários ao eficiente socorro das populações e bens. À cabeça está a compra de um veículo de salvamento e desencarceramento pesado, uma aspiração antiga do corpo activo da corporação, tendo em conta ser imprescindível para o socorro a acidentes com camiões e autocarros, especialmente em vias nacionais e de grande tráfego, como o IP3 e o IC6. «Estamos em fase de contratualização e a viatura deve ser entregue ainda o primeiro trimestre», revelou Paulo Dias, explicando que se trata de um investimento de 310 mil euros, financiado pelo QREN em 175 mil euros e pela autarquia, que aprovou um subsídio de 83 mil euros.

O restante terá de ser suportado pelos bombeiros. No âmbito de uma candidatura ao POVT, estão a decorrer as obras de ampliação do quartel, num investimento de 175 mil euros, estando em fase inicial a remodelação de várias salas polivalentes, que recebem a fanfarra, por exemplo. Trata-se de uma empreitada de 65 mil euros, financiada pelo PRODER.

Como resultado das eleições de 17 de Dezembro, os órgãos sociais que amanhã tomam posse, têm poucas alterações, como explicou o novo presidente da direcção. Assim, o actual presidente da direcção, António Miranda, passa a presidir à Assembleia-Geral, tendo como vice José Carlos Almeida, e Luís Amaral e Adelino Alvarinhas Miguel, como 1.º e 2.º secretários. Na direcção, Paulo Dias terá António Almeida Soares, como vice-presidente. Maria Clara Mateus é empossada como tesoureira, e Paula Cristina da Silva e António Viseu como secretários. Artur Ferreira Tavares é vogal, assim como o comandante António Simões, que tem direito ao lugar por inerência do cargo. O Conselho Fiscal é presidido por Ivo Reis Teixeira, secundado por Arménio Jorge Manaia, tendo como relator Augusto Fernando Alvarinhas.

José Carlos Salgueiro | Diário de Combra