Bombeiro de Penacova morre em despiste de automóvel

0
2
Gonçalo Xavier, 35 anos, tinha estado de serviço no quartel e regressava a casa ao início da madrugada quando ocorreu o acidente, em Casal de Santo Amaro
Um elemento dos Bombeiros Voluntários de Penacova perdeu a vida, ontem de madrugada, num acidente de viação, em Casal de Santo Amaro. Gonçalo Xavier, de 35 anos, seguia em direcção a casa, na localidade de Coiço, quando, por circunstâncias desconhecidas, se despistou por uma íngreme ribanceira, de onde o corpo viria a ser resgatado já depois da hora de almoço.

O acidente terá ocorrido pouco antes das 2h00 da madrugada, uma vez que o voluntário esteve de serviço até à 1h00 no quartel, de onde saiu vários minutos depois de o turno ter terminado, adiantou fonte da corporação. O despiste ocorreu na estrada que Gonçalo Xavier utilizava todos os dias, junto a uma curva apertada, numa subida, conforme apurámos no local.

A viatura imobilizou-se ao fundo da barreira, fortemente escarpada, a cerca de 200 metros da estrada, enquanto o corpo do bombeiro – ao que tudo indica – projectado do automóvel durante a queda, viria a ser encontrado a 60 metros. O alerta de que algo poderia ter acontecido com Gonçalo Xavier chegou ao quartel logo pelas 7h00. Depois de ligar insistentemente para o telemóvel do marido, sem sucesso, a esposa da vítima tentou, junto da corporação, apurar se tinham alguma informação.

De imediato, o comandante António Simões deu indicações para que se iniciassem buscas pelas zonas onde seria previsível Gonçalo Xavier passar naquela madrugada.

Numa primeira ronda pela estrada que liga Casal de Santo Amaro a Coiço, os bombeiros não se aperceberam de nada anormal, mas no regresso, marcas na estrada alertaram para a possibilidade de o Opel, que o malogrado bombeiro conduzia, se ter precipitado pela barreira abaixo.

Confirmado o pior cenário, desde logo perceptível pela presença do pára-choques numa zona ainda visível, iniciaram-se as operações de resgate do corpo que viriam apenas a terminar pelas 14h15. «Não foi nada fácil», adiantou ao Diário de Coimbra António Simões, realçando que houve necessidade de recorrer a uma equipa especial de resgate e salvamento, pertencente aos Voluntários de Penacova, que no dia em que a tragédia lhes bateu à porta, receberam apoio psicológico, tal como a família da vítima.

Bombeiro desde 2004, conforme adiantou o comandante António Simões, Gonçalo Xavier era casado, tinha uma filha menor, com cerca de 10/11 anos, e era motorista de veículos pesados de profissão.

O funeral realiza-se amanhã, às 15h00, do salão nobre dos Bombeiros de Penacova para o cemitério de Oliveira do Mondego.

I