LAMPREIA – Confraria promete lutar até ao fim contra mini-hídrica

0
5
IX Capítulo ficou marcado pela geminação com a congénere francesa de Saint Terre, “um orgulho e uma responsabilidade”, segundo Fernando Lopes
A Confraria da Lampreia de Penacova realizou ontem o seu IX Capítulo, reunindo, mais uma vez, um alargado grupo de convidados, destacando-se a presença de duas confrarias francesas, celebrando-se a geminação com a de Saint Terre.
Trata-se de «um orgulho, mas também de uma responsabilidade», disse o presidente e juiz da confraria, salientando o trabalho de investigação e defesa da lampreia desenvolvido pelos congéneres franceses. «Vamos aprender muito», garantiu Fernando Lopes.
A sessão solene decorreu no auditório do Centro Cultural de Penacova e incluiu a entronização de sete novos confrades, que, como é regra, juraram defender e promover a gastronomia tradicional portuguesa, especialmente a do concelho e Penacova, com relevo para o arroz de lampreia, acepipe sazonal que tornou famosa a terra.
Durante a sua intervenção, Fernando Lopes reafirmou que «a somos uma confraria de causas, pela defesa da lampreia, do rio Mondego e da biodiversidade», lembrando a luta ganha pela construção da escada de peixes no açude de Coimbra.
Para o futuro, o juiz da confraria antevê com alguma satisfação o facto de «estar quase ganha a batalha contra a construção de uma mini-hídrica no rio Mondego», sentimento alicerçado pelas conclusões do Estudo de Impacte Ambiental e pela suspensão de novas licenças para este tipo de empreendimentos.
Apesar de se tratar de uma oportunidade para deixar algumas mensagens mais ou menos sérias, o dia foi de festa, como se pretende nestas ocasiões, com a reunião matinal junto ao Mirante Emídio da Silva, onde os convidados, em grande número, tiveram o primeiro contacto com os peixinhos do rio e outras delícias do concelho.
Depois da foto da praxe, as várias confrarias partiram em cortejo, pelo centro histórico de Penacova, com a Filarmónica Boa Vontade Lorvanense a abrir caminho pelas estreitas ruas da Costa do Frio, onde, como é tradicional, quase todas as habitações penduraram as melhores colchas nas janelas.
 
Várias iniciativas até ao Outono
A Confraria da Lampreia, mais do que apenas promover o prato em si, tem como objectivo a divulgação de outras especialidades da gastronomia local, assim como a defesa do ecossistema e, especialmente, do rio Mondego.
Assim, realiza-se hoje, a Caminhada Rota da Lampreia, um evento que decorre à beira rio e tem uma extensão de cerca de 11 quilómetros e que tem já várias centenas de inscritos.
Fernando Lopes anunciou também que, no Verão, vai ser aproveitada a dimensão da feira mensal da Espinheira para a ali realizar um certame temático dedicado aos doces conventuais, nomeadamente à Nevadas de Penacova e aos Pastéis de Lorvão.
Está ainda programa a realização, no Outono, de um colóquio sobre o Mosteiro de Lorvão e o património da Ordem de Cister.
I