Onze países lutam, também em Penacova, pelo título europeu de pesca à pluma

0
2
Competição realiza-se pela primeira vez em Portugal e Góis
recebeu ontem a cerimónia de abertura de tão importante prova do calendário
desportivo da modalidade
Portugal, Escócia, Finlândia, Espanha, Itália, Roménia,
Holanda, Polónia, França, República Checa e Irlanda são os países que vão lutar
pelo título europeu de pesca à pluma, competição que, este ano, se realiza pela
primeira vez em Portugal, recaindo a escolha sobre três rios (Mondego, Alva e
Ceira) da região Centro.
As cinco mangas para atribuição do ceptro começam amanhã e
decorrem até sexta-feira, em Penacova, Vimieiro, Ponte da Mucela, Serpins e
Colmeal. Após dois dias de habituação aos locais de pesca, as delegações dos
onze países em competição começam o ataque ao título, com a primeira manga agendada
para as 9h00 de amanhã.
O campeonato é organizado pela Associação Regional das
Beiras de Pesca Desportiva, a que se associaram as câmaras municipais de
Arganil, Góis, Lousã, Penacova e Vila Nova de Poiares.
A cerimónia de abertura da prova decorreu ontem em Góis,
ficando bem explícito o enorme esforço que os municípios realizaram para
criarem as condições necessárias para que a competição decorra sem sobressaltos
e atinja o pico da qualidade.
A pesca de competição à pluma alcançou, de acordo com as
palavras de Jorge Almeirim, «um vigor por poucos imaginável e, neste momento,
marca presença indelével no mapa competitivo da Federação Portuguesa de Pesca
Desportiva (FPPD)».
«Portugal é talvez dos países a nível mundial que mais
campeonatos organizou. Todavia, o europeu de pesca à pluma era o que nos
faltava no curriculum, por isso, agradeço a confiança da federação
internacional», disse o dirigente.
O presidente da FPPD salientou igualmente «o empenho dos
municípios nesta altura complicada que o país atravessa, nomeadamente no
trabalho de limpeza dos rios» e de outras questões logísticas.
Ponto alto para Góis
Maria de Lurdes Castanheira destacou a importância deste
tipo de eventos, a nível da promoção do turismo e dos produtos endógenos, para
o município que dirige. «Este campeonato da Europa cria riqueza e gera uma
dinâmica própria, impulsionando a oferta turística, o alojamento e a
restauração, reconheceu a líder da autarquia de Góis.
Visivelmente satisfeito com a escolha de Portugal como país
organizador do 18.º Campeonato da Europa de Pesca à Pluma estava Paul Vekemans.
«Esta modalidade tornou-se popular nos últimos tempos devido ao esforço das
federações e dos pescadores. Esta prova poderá ser aproveitada, para além da
competição, para a troca de técnicas e experiências entre os atletas», frisou o
presidente da Federação Internacional de Pesca Desportiva, declarando, posteriormente,
a abertura oficial do europeu.
Troca de hino não manchou abertura oficial
Um lapso que rapidamente foi desfeito. A abertura oficial
foi realizada com os países participantes a entrarem à vez e com o hino
correspondente como pano de fundo. Porém, aquando da entrada da Irlanda o hino
que se ouviu não era o correcto. A comitiva reagiu, a organização repetiu a
entrada da comitiva e esse pequeno deslize não manchou em nada o
profissionalismo da cerimónia de abertura envolveu. Antes do momento solene,
refira-se, as 11 equipas desfilaram pela vila de Góis trajadas a rigor.
[fonte]