1 de junho, é o Dia Mundial da Criança assinalado desde 1950

0
2
Hoje é Dia Mundial
da Criança, que teve a génese no pós-guerra, num mundo flagelado, em termos
sociais e humanitários, que quis defender as crianças dessa destruição. Por
iniciativa da Federação Democrática Internacional das Mulheres, nasce a
celebração. Porém, mais de meio século depois, há princípios por cumprir.
“A criança deve ser protegida contra as práticas que possam
fomentar a discriminação racial, religiosa, ou de qualquer outra índole. Deve
ser educada dentro de um espírito de compreensão, tolerância, amizade entre os
povos, paz e fraternidade universais e com plena consciência de que deve
consagrar suas energias e aptidões ao serviço de seus semelhantes”.
É um dos princípios estabelecidos na Declaração dos Direitos da
Criança, proclamada por Resolução da Assembleia Geral de 20 de Novembro de 1959
da Unicef. E uma das provas de que a Declaração Universal continua por cumprir,
mais de 50 anos depois de ter sido criada.
Hoje assinala-se o Dia Mundial da Criança e é tempo de refletir
sobre os direitos das crianças, que continuam a passar fome, mesmo nos países
desenvolvidos. A Unicef revelou que há 30 milhões de crianças em extrema
dificuldade, nos países ditos desenvolvidos.
E por isso o Dia Mundial da Criança deve ser celebrado, ainda
que as repetidas celebrações do 1 de junho não tenham conduzido ainda ao
cumprimento de todos os princípios da Declaração Universal.
O Dia Mundial da Criança é oficialmente 20 de novembro, data que
a ONU reconhece como Dia Universal das Crianças, em celebração da aprovação da
Declaração dos Direitos da Criança. No entanto, a data efetiva de comemoração
estabelecida em quase todo o mundo é 1 de junho, uma vez que maio homenageia
Maria, mãe de Jesus.
Neste dia 1 de junho, em 1945, na II Guerra Mundial, os Aliados
bombardeiam Osaka, a segunda cidade do Japão, arrasada com 6110 toneladas de
explosivos lançados por bombardeios B-29, no mesmo ano em que a mesma cidade
fora destruída, por idêntico ataque, três meses antes.
E foi precisamente este conflito mundial que esteve na origem da
celebração do Dia Mundial da Criança. Após esta guerra, com a Europa destruída,
um grupo de países da Organização das Nações Unidas começa a reconstrução
social e humanitária, com a criação de instituições como a Unicef, de proteção
das crianças.
Em 1950, a
Federação Democrática Internacional das Mulheres propôs à ONU a definição de um
dia dedicado às crianças de todo o mundo. Era a génese do Dia Mundial da
Criança, que começou a ser celebrado em 1950.
Nasceram a 1 de junho Francesco Casanova, pintor italiano
(1727), Nicolas Sadi Carnot, físico francês (1796), Mikhail Glinka, compositor
russo (1804), Marilyn Monroe, atriz norte-americana (1926), Norman Foster,
arquiteto britânico (1935), Morgan Freeman, ator norte-americano (1937), Alexi
Lalas, ex-futebolista e músico norte-americano (1970), Maria Rueff, atriz
portuguesa (1972) e Alanis Morissette, cantora canadiana (1974).
Morreram neste dia Nicolas Appert, inventor francês (1841), o
Papa Gregório XVI (1846), Camilo Castelo Branco, escritor português (1890),
John Dewey, filósofo e pedagogo norte-americano (1952), Adolf Eichmann, oficial
nazi (1962) e Yves Saint Laurent, criador de moda francês (2008).
Hoje, assinala-se o Dia Mundial da Criança, no aniversário da
Declaração dos Direitos da Criança.


Município de Penacova irá comemorar o Dia Mundial da Criança, na praia fluvial do Reconquinho. Pretende-se proporcionar um dia exclusivo de atividade lúdica às 600 crianças do pré-escolar e 1 º CEB do concelho, nomeadamente com escalada, slide, canoagem, tarzan, rapel, workshop infantil de modelagem de balões, ateliers de pintura e desenho, gincana, hora do conto, jogos temáticos, jogos tradicionais e muita brincadeira.