Campeão Distrital da 1ª Divisão – União FC perde frente ao Moinhos

0
3
Emblema de Miranda do Corvo venceu o União FC na final da 1.ª divisão distrital. Festa no Estádio Sérgio Conceição teve direito a prolongamento
O Moinhos foi o último campeão a ser conhecido nas provas distritais
da Associação de Futebol de Coimbra. A equipa orientada por Carlos Filipe
venceu, ontem à tarde, o União FC, por 2-0, e arrebatou o ceptro de campeão
distrital da 1.ª divisão.
Antes de falar do que os “craques” fizeram dentro do campo, há que
destacar as claques das duas equipas. Ambas numerosas e ruidosas que
proporcionaram uma tarde de festa no Estádio Municipal Sérgio Conceição, em Taveiro. No final, o
conjunto “preto” foi mais feliz, mas não faltou “fair-play” à rapaziada do
concelho de Penacova que aplaudiu os vencedores e, neste caso, sobretudo os
vencidos.
Dentro do campo, nem sempre se jogou bem, a época já vai longa e ambas
entraram como “campeãs” nesta final. Ganharam as respectivas séries e
garantiram uma vaga na Divisão de Honra em 2012/13.
As oportunidades apareceram, mas o mérito dos guarda-redes e, em alguns
casos, a falta de arte para finalizar dos avançados foi perpetuando o “nulo”. Tó
rematou por cima na primeira situação do jogo e Leandro respondeu com a bola a
acertar na “malha” lateral.
Maçã esteve em bom plano na baliza do Moinhos, quando defendeu bem os
remates de Hernâni e Rui. As oportunidades mudaram depois de baliza, mas tanto
Leandro (com um remate em arco) como Tiago (rematou fraco após grande
iniciativa de Cláudio) não desfizeram o empate.
Golo era utopia
Na segunda metade, Rui dispôs de espaço na área do Moinhos, mas nas
várias situações de que dispôs nunca acertou com o alvo. O domínio da turma
mirandense era notório, mas nem sempre conseguia entrar no último reduto do
unionista.
Renato teve nos pés as melhores situações da sua equipa. Na primeira, Zé
Vicente foi “gigante” a opor-se ao remate quando já se gritava golo na bancada,
pouco depois, o remate forte de fora da área saiu a rasar o poste.
Resolvido no prolongamento
Foi preciso esperar pelo tempo extra para, num dia de feriado, ver
resolvida a última final da época. Decorria a centena de minutos quando
Leandro, com um remate rasteiro e colocado desferido à entrada da área,
inaugurou a contagem. A vantagem deu conforto ao Moinhos que ainda viu Dias
acertar na trave num cabeceamento numa altura em que o União FC dominava as
operações, sem contudo ficar “perto” do empate. A fechar o jogo, um golaço de
Filipe que rematou forte e colocado ao ângulo superior esquerdo. Um momento de
“ouro” que abriu caminho para uma festa que começou em Taveiro e continuou até
Moinhos.