Esclarecimento sobre o dispositivo de helicópteros de emergência médica

0
3
O INEM iniciará uma utilização conjunta de helicópteros com outras entidades do Estado. Para um melhor esclarecimento das populações, vem o INEM disponibilizar um conjunto de informação sobre o dispositivo de meios aéreos dedicados à emergência médica que estará disponível em território continental.


Como ponto prévio, informa-se que o Ministério da Saúde contratualiza em regime de locação (aluguer), através do INEM, atualmente, 5 helicópteros. Até Junho de 2010 eram apenas 2 os helicópteros do INEM disponíveis durante 24 horas por dia, colocados um no Porto e outro em Lisboa para suprir todas as necessidades do País. O Ministério da Administração Interna tem 9 helicópteros próprios, propriedade da Empresa de Meios Aéreos (EMA), que utiliza durante o ano, fundamentalmente, para ações de resgaste/busca e salvamento e para vigilância e combate a incêndios. Aluga várias outras aeronaves para reforço do dispositivo de combate a incêndios florestais.
Pela primeira vez os dois Ministérios acima citados decidiram iniciar um modelo de partilha de meios aéreos, procurando sinergias com ganhos de eficácia e de eficiência.

O dispositivo de helicópteros de emergência médica (INEM) irá passar a ter duas configurações:
– Durante a fase “Charlie” de combate aos incêndios florestais, de 1 de Julho a 30 de Setembro, o INEM terá à sua disposição quatro helicópteros ligeiros com equipas médicas nos seguintes locais:
  • Vila Real (Distrito de Vila Real), Santa Comba Dão (Distrito de Viseu), Loures (Distrito de Lisboa) e Beja* (Distrito de Beja) ou Loulé* (Distrito de Faro) *a definir

– Nos restantes nove meses do ano, o INEM terá à sua disposição cinco helicópteros com equipas médicas, nos seguintes locais:

  •  2 KAMOV em Santa Comba Dão (Distrito de Viseu) e Loulé (Distrito de Faro)
  • 3 helicópteros ligeiros em Vila Real (Distrito de Vila Real), Loures (Distrito de Lisboa) e Beja (Distrito de Beja)
Para além destes estará disponível: um helicóptero Eurocopter AS-350B3 Ecureuil, em Ponte de Sor (Distrito de Portalegre), este sem equipa médica. Permitirá ir aos locais das ocorrências e, se necessário, trazer a vítima com a equipa INEM terrestre para o Hospital de destino, melhorando a capacidade de evacuação aérea rápida de uma parte significativa da população do Alentejo.
Refira-se ainda que para além destes meios, o INEM poderá ainda utilizar outras das aeronaves que a Proteção Civil tenha em utilização, numa verdadeira partilha de meios.
Com a nova localização dos meios aéreos, o INEM considera que irá melhorar de forma muito significativa a cobertura de todo o território continental. A título de exemplo, alguns distritos da região Centro e do Alentejo passam a ter um meio aéreo disponível em muito menor tempo do que aquilo que acontece neste momento, sendo portanto francamente beneficiadas.
        DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA ATUAL                          

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA PROPOSTA APÓS PARCERIA COM MAI
(SEM PONTE DE SOR)

Descrição: Descrição: C:Usersrute.martinsAppDataLocalMicrosoftWindowsTemporary Internet FilesContent.OutlookEHUPTRZJ1 (2).jpg

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA PROPOSTA APÓS PARCERIA COM MAI
(COM PONTE DE SOR)

Descrição: Descrição: C:Usersrute.martinsAppDataLocalMicrosoftWindowsTemporary Internet FilesContent.OutlookEHUPTRZJ2 (2).jpg
Entre janeiro e maio de 2012, foram transportados 411 doentes, o que faz uma média diária de 2,7 doentes transportados. Aplicado aos cinco helicópteros atualmente existentes, estes números significam uma média diária de 0,5 doentes transportados por helicóptero.
Com a partilha de meios aéreos, o INEM obterá uma redução de custos de 2 milhões de euros, que serão aplicados na continuidade do crescimento do Instituto, com a abertura de novos meios, substituição de ambulâncias e viaturas médicas, investimentos em novas tecnologias, etc. A título de exemplo refira-se que vão ser colocadas duas novas ambulâncias INEM em Aguiar da Beira e Macedo de Cavaleiros (concelhos onde atualmente estão localizados dois helicópteros), garantindo assim uma resposta diferenciada em tempo útil à população desses concelhos.
Em suma, o dispositivo futuro terá condições para dar melhor resposta às necessidades da utilização de meios aéreos na emergência médica pré-hospitalar em todo o território continental. Por outro lado, contrariamente à ideia que tem sido avançada em diversos fóruns, não vão haver regiões do território continental que deixam de estar servidas por este tipo de meio: antes pelo contrário, o futuro dispositivo irá assegurar uma cobertura do território mais equilibrada e equitativa nos tempos de chegada em tempo útil, de meios aéreos de emergência médica.
Anexamos um conjunto de Perguntas e Respostas sobre o futuro dispositivo de helicópteros de emergência médica.
A emergência médica começa em si. Colabore com o INEM. Juntos, podemos salvar vidas!
Para mais informações, contactar:
Gabinete de Comunicação e Imagem do INEM
Instituto Nacional de Emergência Médica
Rua Almirante Barroso, 36 4.º piso / 1000-013 Lisboa – Portugal
E-mail: inem@inem.pt / Internet: www.inem.pt