Aluno de doutoramento da FCTUC morre em aparatoso acidente no IP3

0
2
O carro de Gabriel Lopes, professor em Viseu, foi abalroado por outro veículo, que seguia em sentido contrário. Um dos quatro feridos corre risco de vida



Um aparatoso acidente, ocorrido ontem, no IP-3, junto à localidade
de Almaça, Mortágua, provocou a morte a um aluno de doutoramento do
Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de Coimbra e professor do
Instituto Politécnico de Viseu, e deixou feridas quatro pessoas, três delas com
gravidade, incluindo uma criança.
De acordo com o que foi possível apurar no local, o acidente ocorreu
cerca das 17h30, quando uma viatura de matrícula luxemburguesa, de marca
Mercedes, que seguia no sentido Viseu-Coimbra, embateu, primeiro numa carrinha
de caixa aberta e depois com violência num Renault Clio, azul, ambos seguindo no
sentido contrário.
Nesta última viatura seguia Gabriel Afonso Lopes, de 36 anos, que
foi aluno de licenciatura no Departamento de Engenharia Mecânica da Faculdade
de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, onde agora estava a fazer
doutoramento, e era também há alguns anos professor do Departamento de
Engenharia Mecânica da Escola Superior de Tecnologia de Viseu.
Gabriel Afonso, que residia em Viseu, seguia no carro com uma menina,
de cerca de seis anos, que ficou gravemente ferida e foi transportada para o
Hospital Pediátrico de Coimbra. Bombeiros e Destacamento de Trânsito da GNR que
estiveram no local desconheciam o parentesco entre a vítima mortal e a criança,
mas Joaquim Gaspar, comandante dos Bombeiros Voluntários de Mortágua, confirmou
no local ao nosso Jornal que a mulher do professor seguia, noutro carro, à frente
e assistiu ao acidente.

Condutor do Mercedes terá adormecido
Ainda de acordo com o responsável, o acidente terá ocorrido porque
o condutor do Mercedes terá adormecido ao volante, passando o duplo traço
contínuo e embatendo nas outras duas viaturas que estiveram envolvidas no
acidente. Terá sido o próprio condutor (alegadamente emigrante no Luxemburgo)
que ficou gravemente ferido, mas que estava consciente, quem confessou a
Joaquim Gaspar que terá «passado pelas brasas».
Para além da criança e do condutor do veículo luxemburguês, com 49
anos, ficou ainda gravemente ferida a outra ocupante do Mercedes que esteve
imobilizada, durante cerca de meia hora, dentro de uma ambulância do INEM, mas
acabou por ser transportada para os HUC no helicóptero do INEM para os HUC em estado
muito grave.
De acordo com o que foi possível apurar, junto de fonte hospitalar,
a mulher estava a ser operada ontem à noite e corria risco de vida. O ferido ligeiro
é o condutor da carrinha e, tal como o outro ferido grave transportado para os
HUC, não inspirava cuidados, prespectivando-se ontem, à hora de fecho da
edição, que pudessem ter alta em breve.
No local do acidente estiveram, para além do Destacamento de Trânsito
de Viseu, 26 bombeiros, das corporações de Mortágua, Penacova e Santa Comba
Dão, em nove viaturas, para além da SIV de Tondela e da VMER de Coimbra, com
quatro tripulantes.
O IP-3 esteve cortado, em ambos os sentidos durante várias horas,
estando o Destacamento de Trânsito a desviar o trânsito por caminhos
alternativos.