FUTEBOL DISTRITAL DE COIMBRA – Brasfemes deu a “cambalhota” num desafio bem emocionante

0
2
Conjunto da casa marcou
cedo, mas Telmo estabeleceu a reviravolta favorável ao S. Pedro de Alva ainda no
primeiro tempo. Mais golos, só mesmo perto do final

Está dado o pontapé de saída na
1.ª divisão distrital. Num campeonato disputado numa série única, vários são os
emblemas apontados como candidatos à luta pelos lugares cimeiros, ou seja,
aqueles que na próxima época querem ir disputar a Divisão de Honra, escalão
maior das provas distritais de Coimbra.
No campo de Mualdes,
encontraram-se dois conjuntos com aspirações no campeonato.
O Brasfemes, de regresso ao futebol
sénior distrital sob orientação de Emídio Baptista,apresentou-se motivado e cedo
chegou ao golo, para gáudio dos seus adeptos. Jaria, com espaço na área,
rematou sem hipótese de defesa para Breda.
Não se pense que o S. Pedro de
Alva ficou a ver. Orientados por Bruno Ferreira (na última época esteve no
Pampilhosense), o emblema do concelho de Penacova teve o discernimento
necessário para chegar ao empate, estavam decorridos 15 minutos. Márcio Cunha
trabalhou na esquerda, assistiu João Brito que rematou à trave e Telmo, na
recarga, restabeleceu a igualdade.
As equipas “encaixaram” a partir
do 1-1, ainda assim, os locais pareciam ter sinal mais sobre o jogo, algo que não se traduzia
em grandes oportunidades. Por outro lado, os forasteiros mostraram “matreirice”
e eficácia. Telmo, solto na área, rematou cruzado e bisou.
O S. Pedro de Alva estava na dianteira
e só não ampliou a diferença porque o remate de Telmo errou o alvo por centímetros.
Chuva, incêndios, prémio e bar cheio
O intervalo foi animado para a
assistência. Tal como durante a primeira metade, reinou a boa disposição na
bancada. O incêndio nocturno em
S. Paulo
de Frades motivou comentários, tal como a chuva que
“deu uma ajuda” no fogo durante a madrugada, mas que provocou uma debandada no
intervalo… rumo ao bar. Era a zona coberta e o negócio certamente agradeceu.
Também os prémios das rifas foram reclamados pelos vencedores.
Brasfemes dominou e virou
A segunda parte foi quase de sentido
único. Os visitantes deram a posse de bola aos locais e a ideia passava
certamente por explorar o contra-ataque, algo que acabou por não resultar como
pretendido.
O Brasfemes dominou “de fio a
pavio” e apesar de não ter conseguido uma exibição de “encher o olho” justificou
plenamente o decurso dos acontecimentos.
Os remates de longe esbarravam na
defensiva da equipa penacovense e em duas situações os locais reclamaram penalti
por eventual mão na bola.
Pinto Nunes, sempre próximo dos
lances, mandou jogar, mas dúvidas não teve quando aos 80 minutos viu Nuno derrubar
Cação na área.
O “castigo máximo” foi convertido
com sucesso pelo “capitão” Maias que relançou a sua equipa na luta pela vitória. A
igualdade a duas bolas espevitou novamente o S. Pedro de Alva que voltou a
procurar a velocidade de Telmo e a estampa física de Quim, contudo, apenas de
bola parada chegavam à área anfitriã.
Curiosamente, foi no seguimento
de um desses lances (favorável aos forasteiros), que surgiu um contra-ataque letal do
Brasfemes. Maias correu mais de meio-campo com a bola e, na cara de Breda, não desperdiçou
o 3-2.
Festa nas hostes locais que, diga-se,
pelo produzido, até justificaram a festa. Uma equipa jovem e que poderá dar que falar.
Ao S. Pedro de Alva faltou concentração na recta final para conseguir, pelo
menos, um ponto na estreia.Arbitragem positiva.
25 golos nos oito jogos de
abertura
  
1.ª JORNADA – O “factor casa” não
serviu de muito na ronda de estreia da 1.ª divisão distrital. Apenas três
equipas conseguiram vencer a jogar perante os próprios adeptos.
O S. Silvestre é o primeiro líder
do campeonato. Os vencedores da Taça de Encerramento 2011-12, derrotaram o
Sepins por claros 4-0. Poiares (4-2 ao Condeixa) e Brasfemes (3-2 ao SP Alva)
foram as outras duas formações que entraram com o pé direito a jogar em “casa”.
Ac. Gândaras e Góis conseguiram
triunfar nas visitas aos terrenos de S. Mamede (2-3) e Ribeirense (0-1). Triunfos pela diferença
mínima, mas que animam certamente os dois emblemas.
O segundo patamar das provas da
Associação de Futebol de Coimbra registou ainda três igualdades na ronda de estreia. Lamas
e Esperança protagonizaram o único encontro que não passou do “nulo”. O
Mocidade-Águias e o Lousanense-Gândara terminaram com o mesmo desfecho: 1-1.
A próxima jornada promete, com
quatro dos cinco primeiros líderes a defrontarem-se, nomeadamente no Ac. Gândaras-S.
Silvestre e Góis-Poiares.
Esta temporada, a 1.ª divisão conta
com 16 equipas, pelo que o campeonato será longo.
As 30 jornadas prometem ter emoções fortes e há muitos candidatos ao topo.