REGENERAÇÃO URBANA – Obras no centro de Penacova são “apenas o princípio”

0
2
Inauguração Obras de requalificação
do centro urbano inauguradas com homenagem a António José de Almeida

O feriado do 5 de Outubro foi comemorado
em Penacova com a inauguração das obras de regeneração urbana, que mudaram a
face da zona mais central da vila. «Isto não é o final, é apenas o princípio»,
garantiu o edil, Humberto Oliveira, referindo-se aos projectos do Centro
Cultural, no edifício onde funciona o Tribunal Judicial, e a requalificação dos
Paços do Concelho, sem esquecer a necessidade de apoiar os particulares que pretendam
renovar os seus imóveis.
Contando com um número assinalável
de populares, as comemorações da implantação da República começaram com o
hastear das bandeiras, ao som do Hino, pela Filarmónica de S. Pedro de Alva,
terra natal de António José de Almeida.
Com a presença de Pedro Saraiva,
presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC),
que “contribuiu” para a obra, através de 85% de fundos do QREN, foi cortada a fita,
depositada uma coroa de flores no busto do único Presidente da República
penacovense e descerrada a placa que assinala o fim das obras.
O presidente da Assembleia Municipal,
Pedro Coimbra, garantiu tratar-se de «um dia feliz para quem é de Penacova», pela
conclusão de «um investimento há muito reivindicado», sustentando que
«representa um salto na qualidade de vida para os penacovenses e para quem
recebemos». «Esta é também uma obra para todo o tecido económico de Penacova»,
referiu, sublinhado o «bom exemplo da utilização de fundos comunitários, que
vai ao encontro dos anseios dos empresários».
Também Pedro Saraiva defendeu que
«estamos a inaugurar um bom investimento público», frisando que, «se muita
gente passa os fins-de-semana em centros comerciais é porque não têm espaços destes».
A homenagem a António José de Almeida significa que «Penacova está a fazer toda
a diferença, no sítio certo e na data exacta», disse ainda.
A propósito, Humberto Oliveira
lembrou que «poderíamos ter esperado (falta o estacionamento e o Centro Cultural),
mas resolvemos celebrar 5 de Outubro, eventualmente o último dos próximos anos.
É uma data que tem muito significado para Penacova», disse.
Relativamente às obras, o autarca
considerou que «inaugurar este investimento três anos depois de o executivo ter tomado
posse, foi um contra-relógio bom». Fez ainda um breve historial do processo,
que ditou o abandono do estacionamento subterrâneo e da intervenção na zona do
hotel, substituídos pelo parqueamento à superfície e pelo Centro Cultural no
actual tribunal.
Centro Cultural de Penacova perde fundos do QREN
Humberto Oliveira disse ser praticamente
certo que se vão perder os fundos do QREN para a transformação do tribunal em
Centro Cultural, mas mostrou-se confiante que o projecto possa ser abrangido
pelo próximo quadro comunitário de apoio. «Infelizmente, por inoperância do Ministério da
Justiça, o tribunal ainda funciona no mesmo edifício», lamentou, ontem, o
presidente da Câmara de Penacova.