PATRIMÓNIO – Fornos de Cal Parda de Penacova, presentes na exposição “As areias do Mondego: da extração à construção”

0
4

A
reabilitação do centro histórico de Coimbra, tendo em conta a valorização e
preservação do seu património, está a ser analisada, até amanhã (20 de
outubro), em Coimbra, por diversos especialistas ligados a esta temática.

Este debate
insere-se no Ciclo de Encontros “Património & Reabilitação Urbana”, uma
iniciativa organizada pelo Museu da Ciência da Universidade de Coimbra (UC),
Mosteiro de Santa Clara-a-Velha,
 Centro de Estudos Sociais
da UC
 e Departamento de Arquitetura da UC. Segundo os promotores, tem como
objetivo “sistematizar e confrontar o conhecimento já existente sobre a
melhoria dos processos de restauro urbano e arquitetónico e discutir as
metodologias de abordagem, tanto em projeto como nas práticas da indústria da
construção”. Por outro lado, assume também um importante papel na “divulgação e
sensibilização para a salvaguarda do património”.

Este ciclo
procura, assim, promover a discussão sobre o tema “Património versus
Reabilitação Urbana”, tendo como referência o estudo de caso da cidade de
Coimbra, com um formato inspirado na iniciativa “Homem, Cidade e Ciência”, do
Museu da Ciência da UC, em que “Homem” representa a cidadania, a “Cidade”
o poder político, e a “Ciência” o conhecimento.

Pretende
abranger todos aqueles que, direta ou indiretamente, se encontram envolvidos na
salvaguarda do património arquitetónico e urbano, unindo sinergias entre
instituições, empresas e particulares.

 Preservar e reabilitar 
Com este
ciclo, as entidades envolvidas procuram trazer a debate a reabilitação urbana,
tendo sempre a preocupação de assegurar a preservação do património.

Os
responsáveis pelo encontro lembram que, tal como tem acontecido em muitos
outros centros históricos, “a imagem urbana da Coimbra antiga tem vindo a
degradar-se acentuadamente nas últimas décadas”, pelos mais variados motivos,
como “ausência de manutenção”, “atmosferas urbanas cada vez mais poluídas” e
uma “crescente e preocupante perda de conhecimento das técnicas tradicionais de
construção e acabamentos, favorecida pela inexistência de uma política de
salvaguarda do património construído e da ocupação de solos”.

Realçam a
urgência de combater esta tendência de degradação e de criar “instrumentos
específicos que possam ajudar a superar essa dicotomia, estabelecendo um
diálogo entre as técnicas tradicionais e as possibilidades oferecidas pela
evolução tecnológica”.

O programa
de hoje começou, às 9h30, no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, sendo
a manhã dedicada aos “Revestimentos de cal”, onde serão abordados temas como
“Argamassas – traços, agregados e cais”, “Caracterização de argamassas
antigas”, “Indústria extrativa e atividades transformadoras no final do séc.
XIX na área de Coimbra: Cerâmica de construção e produção de cal”, “Fornos
de cal parda de Penacova
” e “Pedra de Ançã”. Será ainda apresentado
o estudo de um caso, dedicado à pasta de cal.

Durante a
tarde, o programa centra-se no Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, onde será
inaugurada a exposição “As areias do Mondego: da extração à construção
e onde decorrerá um workshop dedicado aos “Revestimentos de Cal – Grafitos,
esgrafitos e outros elementos decorativos”. Às 17h00 decorreu o evento “Homem,
Cidade e Ciência II: Técnicas para a Reabilitação Urbana” e, a partir das
21h30, o destaque vai para o concerto “Sons sobre as imagens do Mondego”.

Amanhã o
programa recomeça às 9h30, no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, com
a terceira sessão a ser dedicada aos “Acabamentos de Cal e de Silicatos”.
“Pigmentos naturais e a sua aplicação na pintura mural”, “Caracterização de
pinturas antigas”, “A pintura mural do teto da sacristia da igreja do Mosteiro
da Batalha” e “Os pigmentos das pinturas tradicionais a cal: composição,
origem, modos de preparação e aplicação” são alguns dos temas que serão
analisados durante a manhã. Haverá ainda um espaço de debate dedicado à “cor do
Centro Histórico de Coimbra”.

À tarde, a
partir das 14h00, decorrem no Mosteiro de Santa Clara-a-Velha os workshops
“Tintas de Cal” e “Velaturas de Silicatos”. A partir das 17h00 destaque para o
evento “Homem, Cidade e Ciência III: Reabilitação Urbana – o Centro Histórico
de Coimbra”. Às 19h00, será apresentada uma publicação da Imprensa da
Universidade de Coimbra, “A cor do Centro Histórico de Coimbra”, com texto de
Pedro Providência e fotografias de Luís Ferreira Alves.

O ciclo
encerra às 19h30, no Mosteiro, com uma sessão que contará com a presença de
Vitor Murtinho (vice-reitor da Universidade de Coimbra) e Artur Côrte-Real
(Direção Regional de Cultura do Centro).

Fonte: O Despertar