DIVISÃO DE HONRA – Acabar com credo na boca

0
3
Visitados entraram bem no jogo e aos 8 minutos já venciam por 2-0 
Sem ter feito muito por isso, o Carapinheirense,
aos 8 minutos, já se encontrava a vencer por 2-0, devido a dois lapsos da
defesa dos visitantes, com Faria a ter um aproveitamento de 100%: duas
oportunidades, dois golos.
Face ao futebol praticado, de nível
superior, pela equipa visitada, todos os que marcaram presença no Campo de S.
Pedro terão pensado que iriam assistir a uma partida cheia de golos, em
quantidade e qualidade.
No entanto, quem pensou assim
enganou-se redondamente e André Pimpão, à passagem da meia-hora de jogo, tentou
dar um outro cariz à partida, quando fez entrar David. Uma substituição a que
António Cortesão respondeu de imediato, ao trocar Canoso (ligeiramente tocado),
por Ivo. Estas alterações não trouxeram grandes novidades, mas foi visível
alguma atitude menos consentânea com o que desejaria, o que provocou algumas entradas mais duras por
parte dos jogadores visitantes até ao intervalo.
Após o reatamento, a equipa da
casa tentou ampliar o marcador – Faria esteve perto do “hat-trick” aos 52 minutos. Mas durou
pouco a pressão dos primeiros minutos e foi, então, a vez dos unionistas
reagirem e, em contra-ataque rápido, ganhar uma grande penalidade, aos 56
minutos, que Rui converteu sem qualquer hipótese para Paulo André.
Sentindo que nada tinha a perder,
André Pimpão, que viria a ser expulso do banco quase no final do encontro, fez entrar homens
mais frescos e conseguiu disputar o jogo de igual para igual, mantendo a
incerteza do resultado até ao apito final.
O técnico António Cortesão lançou
também os seus trunfos e Tibério, aos 80 minutos, naquela que foi a primeira
vez em que tocou na bola, ia concretizando ao surgiu isolado na área depois de
uma distracção dos defesas adversários.
Quando surgiu o apito final notou-se,
de um lado, a sensação do dever cumprido, pesem embora as dificuldades
encontradas, e do outro uma certa frustração por não terem conseguido pelo
menos a repartição de pontos.
A equipa de arbitragem não teve
influência no resultado e mostrou personalidade nos momentos mais difíceis.
UNIÃO FC 1
Vítor; Danilo, Ricardo, Joel e Tó;
Marcelo (Pastel, 65m), Hernâni
e Marcos (David, 31m); Rui, Batista
e Pedrito (João Simões, 70m).
Não utilizados: Pardal, Carlos Martins,
Bruno Costa e Rui Branco.
Treinador:André Pimpão.
Complexo Desportivo de S. Pedro,
na Carapinheira.
Espectadores: cerca de 140.
Árbitro: Paulo Santos.
Auxiliares: Luís Coelho e Nuno Roque.

CARAPINHEIRENSE 2
Paulo André; Luís
Santos, Tiago,
André Monteiro e
Bruno Carvalho;
Canoso (Ivo, 32m),
Amarildo e Seidy;
Ricardo (Rafael
Vicente, 78m),
Alex e Faria
(Tibério, 80m).
Não utilizados: Cruz,
Renato,
Xavier e Rafael Duarte.
Treinador:António
Cortesão.
Disciplina
Cartão amarelo a Marcos (20m), Batista (27m), Rui (48m), Bruno Carvalho
(56m), Luís Santos (58m), Seidy (64m), Ivo (74m), Pedrito (76m e Paulo André
(90+1m).
Cartão vermelho ao treinador André Pimpão (92m).
Golos: Ao intervalo: 2-0. Faria (4 e 8m) e Rui (56m, g p)
Vítor Travassos