POLÍTICA – PS Penacova realiza jantar de natal como anúncio de recandidatura

0
2

O PS de Penacova realizou este sábado, 8 de dezembro, no Restaurante Bela Vista, em Figueira de Lorvão, o seu jantar de Natal. Para além dos muitos militantes que fizeram questão de comparecer, estiveram presentes o Presidente da Federação Distrital do PS de Coimbra, Pedro Coimbra, o Presidente da Câmara de Penacova, Humberto Oliveira, bem como alguns elementos do secretariado da federação de Coimbra.


Humberto Oliveira, independente eleito presidente do município nas listas do partido Socialista, fez um balanço do seu mandato. Referiu que o ano de 2011 serviu para pagar obra, tendo reduzido o passivo da câmara em mais de um milhão de euros. Quis ainda frisar o decréscimo de transferências de verbas do Orçamento de Estado, no valor de 500 mil euros, e o aumento da fatura da água, que passou dos 23 mil euros para os 600 mil euros – em virtude de um acordo assinado pelo anterior Executivo do PSD. “Fazendo as contas, em 2011, os penacovenses tiveram menos dois milhões de euros para obras”, lamentou.


Nesta ocasião, em que a sala estava cheia de militantes e simpatizantes socialistas, Humberto Oliveira referiu-se de forma critica à reorganização territorial, considerando que a mesma deveria ter sido feita de baixo para cima e não como foi feita, de cima para baixo, ou seja, “nunca devia ter sido imposta pelo Governo aos autarcas, não tendo em consideração as vontades das populações e as suas tradições”. “A proposta de lei que extingue freguesias, fruto da proposta da UTRAT e no caso particular de Penacova é uma autêntica aberração”, asseverou.

Entre os muitos assuntos trazidos à discussão nesta noite, Humberto Oliveira esclareceu que não é por falta de pagamento que a obra do Centro Educativo de Lorvão está parada, mas sim por problemas financeiros da empresa a quem foram adjudicados os trabalhos, sublinhando que desde 29 de setembro que não há pagamentos em atraso e assegurando que este assunto irá ser resolvido o mais rapidamente possível.


PEDRO ASSUNÇÃO É RECANDIDATO A FIGUEIRA DE LORVÃO

Também presente, Pedro Assunção, Presidente da Junta de Freguesia de Figueira de Lorvão, dirigiu-se aos presentes e, em tom de desabafo, lamentou que o mandato para o qual foi eleito ter coincidido com tempos de “vacas magras”, vincando que gostaria de ter tido a oportunidade que outros tiveram, noutras alturas em que a situação económica/financeira era mais favorável. Ainda assim, a vontade de lutar pela sua terra e pelas suas gentes e “o amor por esta freguesia”, levaram-no a anunciar a sua recandidatura, publicamente, a Presidente da Junta de Figueira de Lorvão nas próximas autárquicas de 2013, obtendo uma enorme ovação entre os presentes.

Pedro Alpoim, Presidente da Concelhia da JS de Penacova, enalteceu “o excelente trabalho levado a cabo pelo Presidente da Junta de Freguesia de Figueira de Lorvão, Pedro Assunção em todos os campos”. Realçou os problemas que este resolve no dia-a-dia sempre tendo em linha de conta o bem-estar das pessoas, sublinhando também todas as obras feitas no seu mandato.

Na sua intervenção, Ricardo Simões, Presidente da Comissão Política Concelhia de Penacova, enalteceu igualmente o trabalho do Presidente da junta de Figueira de Lorvão, mostrando a sua satisfação pelo anúncio de recandidatura de Pedro Assunção, referindo a confiança que todos depositam no seu trabalho. E acrescentou que no concelho, este Executivo apenas em três anos fez muito mais do que o anterior em quase três décadas”.

No encerramento das intervenções, Pedro Coimbra, líder da distrital de Coimbra do PS, quis solidarizar-se com João Azadinho e Paulo Dias, pelo facto de serem presidentes de duas juntas que serão agregadas. Frisou que não pode parar a luta dos autarcas e das populações contra esta reorganização administrativa, lamentando que um deputado penacovense e anterior Presidente da Câmara, votou esta lei favoravelmente, sendo esta lei lesiva do interesse das populações. “Esta lei tem uma marca ideológica, colocando em causa serviços de proximidade à comunidade e afastando os serviços públicos das pessoas”, rematou.

No seu discurso, Pedro Coimbra abordou a governação do País, considerando que “este é um governo marcadamente neoliberal e um dos seus principais objetivos é o fecho de serviços públicos”. Frisou que o PS votou contra o OE 2013, por considerar que o mesmo não é exequível e que “nos levará para uma situação idêntica à da Grécia”, lamentando “o PSD não aceitar nenhuma das propostas apresentadas pelo PS.

Uma palavra ainda para o Executivo do município de Penacova, cujo concelho “hoje está diferente do que antes de 2009, sendo honrados os compromissos assumidos com as pessoas sob a boa liderança de um homem dinâmico, sério e com capacidade de mobilização: Humberto Oliveira”.

NI PS Penacova