Presidente da Junta de Travanca do Mondego continua protesto contra extinção*

0
3
Na sua intervenção, João Azadinho, presidente de Junta de Travanca do Mondego, lembra que a reorganização das freguesias, surge no seguimento do memorando da troika assinado pelo anterior governo e devia assentar em três pontos: reforçar a prestação do serviço público, aumentar a eficiência e reduzir custos.
Mas foi já este governo que definiu como essa reorganização seria feita e segundo o Presidente da Junta “não se verifica nela nada daquilo que está escrito no memorando, dado esta reforma conforme está feita não vir reforçar o serviço publico, não aumentar a sua eficiência e quanto a redução de custos, o próprio governo reconhece que não.”
O processo está mal desde o inicio. Devia-se começar por dizer o que pretendem das freguesias e definir novas competências…depois sim verificar fronteiras e se realmente se verificassem vantagens para as populações reestruturavam-se as freguesias. Mas não, foi ao contrario primeiro extinguem-se freguesias e agora discute-se na assembleia da republica as suas competências.
Em setembro a assembleia municipal de Penacova não fez qualquer pronuncia, Lembrando essa reunião, João Azadinho referiu que “Até hoje não conheci a posição do PSD de Penacova…e lembro até que na ultima assembleia municipal tinha mais deputados que o PS e podia ter apresentado alguma proposta de pronuncia e não o fez…mas não estou a censurá-los por isso. Não se pode é tomar um voto de abstenção, para se ficar numa situação confortável de poder criticar qualquer posição que viesse a ser tomada.
Referiu ainda “Se não concordo com os parâmetros da lei que acabava com a minha freguesia, como poderia ir aprovar uma pronuncia baseada na mesma lei e que acabava com duas outras freguesias?
Quem não foi esquecido foi o deputado penacovense eleito nas listas do PSD. “Quando em 2011 o Eng. Maurício Marques foi eleito obteve nas seis freguesias agora agregadas mais de 30% dos votos no concelho de Penacova, pessoas que confiaram nele, ajudando a ser eleito como deputado. Não esperariam dele é que no passado dia 21 de dezembro se levantasse a aprovar uma reorganização no seu concelho, que ele próprio saberá que não faz sentido.
Referindo-se a umas declarações do referido deputado, dizendo que sempre esteve disponível para dar o seu contributo, João Azadinho lamentou que “até hoje, não tive uma palavra dele…uma explicação…nem antes, nem depois da votação da lei…e acreditem que muita gente quer saber o porquê de nada ter feito para evitar que esta reorganização fosse feita desta maneira.
Por fim concluiu: “Todos nós temos responsabilidades pela decisão que tomámos, mas acredito que a não pronuncia, foi a melhor na defesa das nossas populações…Julgo que se em Penacova existiu algum coveiro de freguesias, ele não pertence à Assembleia Municipal…

NI/JFTM

*Excertos da intervenção de João Azadinho, Presidente da Junta de Freguesia de Travanca do Mondego na Assembleia Municipal de 29 de dezembro de 2012.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui