Julgado por abusar sexualmente de adolescente

0
2

No Tribunal de Penacova teve hoje o início do
julgamento de um jovem, de 20 anos, desempregado, de Coimbra, acusado de abuso
sexual de uma criança, de forma continuada, cuja pena pode ir até dez anos de
prisão.
De acordo com a acusação do Ministério
Público (MP), o arguido, residente na freguesia de
Eiras, terá pedido a um amigo, em 2011, para lhe apresentar uma adolescente, que
na altura tinha 13 anos “e o arguido sabia disso”. O amigo terá ligado à
rapariga e passou o telemóvel ao arguido que, a partir dessa primeira conversa,
passou a contactar regularmente com a menor. O primeiro encontro ter-se-á 
dado aquando de uma consulta da menina no
Hospital Pediátrico de Coimbra.
No dia 14 de novembro de 2011, o arguido terá
combinado encontro com a menor e pediu ao amigo que o transportasse a casa
dela. Sem o conhecimento da mãe, diz o MP, a rapariga saiu de casa e terá ido
para uns pinhais. “Tal como tinham planeado, por telemóvel, o arguido e a ofendida
mantiveram relações sexuais, próximo de um caminho florestal”, lê-se na acusação
do MP.
Sete dias depois, “de novo a pedido do
arguido”, o amigo do suspeito deu-lhe boleia até à aldeia da menor e, após novo
encontro nos pinhais, ambos terão mantido novamente relações sexuais.
Entretanto, era já madrugada e a GNR já andava à procura da menina, tendo
encontrado esta e o arguido juntos.
Em dezembro, numa ida com a mãe a um centro
comercial, em Coimbra, a menor fugiu com o arguido e, em casa deste, voltaram a
manter relações sexuais. Em janeiro de 2012, numa ida ao Pediátrico, volta a
fugir da mãe, de novo com o arguido, e mais uma vez mantém relações 
sexuais, desta vez na mata do Choupal.