Bancada do PSD ”ajudou” a aprovar contas da Câmara

0
4
Presidente da autarquia sublinha
que o ano transacto representa o “exercício da estabilização”, depois do
primeiro ano de mandato marcado pelo “grande investimento”
A abstenção do PSD e os votos favoráveis
do PS ditaram que a aprovação das contas do município de Penacova não registasse
qualquer voto contra. A votação aconteceu na última sessão da Assembleia Municipal
e representa, para o presidente da autarquia «um sinal positivo» à sua gestão.
«Sem prejudicar o esforço de investimento
que temos efectuado, que se cifra em cerca de 14 milhões de euros nos últimos
três anos, ainda tem sido possível reduzir a dívida, graças a uma gestão
criteriosa, exemplar e com muito rigor», afirma Humberto Oliveira. O autarca
adiantou que tal só foi possível «porque temos sido criteriosos nas opções de
gestão que temos efectuado», fazendo notar que mesmo quando se trata de custos
“controláveis” pelo município, «não é possível, de ânimo leve, tomar decisões
quando à sua alteração em termos significativos», refere uma nota de imprensa
da autarquia. A título de exemplo, o autarca aponta os encargos com iluminação
pública, que ascenderam a 208 mil euros em 2009 e em 2012 representam um custo
de 343 mil euros.
O autarca chamou a atenção para
as receitas correntes da autarquia, que em 2011 se situou «abaixo dos 8.000.000
euros, o que já «não acontecia desde 2006, e que «em 2012, apesar de ter
recuperado, ainda não s e situa ao nível das obtidas em 2007, 2008, 2009 e 2010.
Oscilação que «não podemos estranhar», refere, dando conta que em 2009 os fundos
municipais importavam em 6.485.873 euros e «em 2012 no montante de 5.817.730 euros»,
o que representa uma redução de 668.143 euros.
Humberto Oliveira considerou o
ano de 2012, terceiro do mandado, como «o exercício da estabilização», tendo em conta
que o primeiro foi um «ano de investimento». No ano transacto o investimento
cifrou-se em 4.630 mil euros e «foi possível prosseguir com o esforço de redução da dívida».
Sobre este «período de
estabilização», o autarca de Penacova fez notar que «cresceu o investimento, diminuiu a dívida e
as despesas correntes, mantendo as transferências para as associações do
concelho», que reputa de «determinantes» para que estas «prossigam com a sua
missão». Refere, ainda, a transferência de verbas para as junta de freguesia e
outras entidades, que atingiram os 789 mil euros, dos quais «cerca de 614 mil
euros foram atribuídos às juntas de Freguesia». Verbas que, diz ainda, «apenas
foram ultrapassada pelas obras de regeneração urbana, que contaram com o apoio
de fundos comunitários provenientes do QREN. DC