Bombeiros de Penacova – 83 anos de vida ao serviço de outras vidas

0
2
Os 83 anos da Associação Humanitária dos Bombeiros de Penacova foram ontem assinalados. Em dia de Festa, oito jovens juntaram-se ao corpo de bombeiros. Momento foi também de homenagens e distinções


Os Bombeiros Voluntários de Penacova (BVP) saíram
ontem à rua para festejar 83 anos de vida. Em dia de festa para a corporação,
que conta com 120 elementos, houve oito novos membros que fizeram juramento e
passaram a fazer parte dos Voluntários de Penacova. Houve também distinções
para os que têm dedicado a sua vida à corporação. Estas distinções são o
reconhecimento de que têm feito jus ao lema “vida por vida, pela defesa de
pessoas e bens”. Os novos bombeiros de 3a classe conseguiram “uma grande
vitória” em chegar aqui. O comandante dos BVP disse mesmo que o corpo ativo
“está mais rico” que a partir de agora, são bombeiros “de Penacova, de Portugal
e do mundo”.
Medalha “grau
ouro’
Porque o dia era de festa foram também assinaladas
promoções -17 bombeiros de 2•a classe, um elemento que passou a sub-chefe e
entregas de medalhas de assiduidade de cinco, 10, 15 e 20 anos. Ivo Teixeira,
presidente do conselho fiscal da Associação Humanitária dos Bombeiros
Voluntários de Penacova e há muito ligado à instituição, recebeu a medalha
“grau ouro” da Liga dos Bombeiros de Portugal
A “disponibilidade permanente” dos 120 elementos
que compõem a corporação de Penacova, foi realçada por António Simões. O
comandante sublinhou que as mulheres e os homens que integram os BVP “estão
sempre aptos a prestar socorro nas diversas áreas” e que, nos últimos tempos, o
concelho tem sido “assolado por incêndios florestais que não dão descanso”.
Outro aspeto que António Simões não esqueceu, foram as emergências pré-hospitalares
são “resolvidas pela pronta ação” dos soldados da paz.
E porque, em muitos casos, as famílias dos
voluntários são as mais prejudicadas, ficou uma palavra para elas.
Especialmente para as dos oito novos elementos:
“no futuro vão ficar privados deles muito mais
tempo”. Mas é assim que tem mesmo de ser, porque é por estas mulheres e homens
que “passa o socorro mas também a segurança dos bens”.
Por tudo isto, António Simões diz sentir “um imenso
orgulho” em todos que compõem a corporação.
Críticas em
dia de festa
Apesar do momento ser de festa, o comandante não
esqueceu “os que estão nos gabinetes” e pretendem que os voluntários prestem
“serviços mínimos obrigatórios”como se fosse “um organismo público”. “Alguém pensa
nos momentos de aflição que viemos nas nossas associações?”, questionou António
Simões.
Mas, e apesar das críticas deixadas a quem “está em
Lisboa”, ficou a certeza que a missão dos Bombeiros Voluntários de Penacova “é
cumprida com rigor e muito voluntarismo” por todos.

Contribuir para
melhorar
O presidente da direção da Associação Humanitária
dos Bombeiros Voluntários de Penacova (AHBVP), Paulo Dias disse que o objetivo
dos órgãos sociais é “contribuir para melhorar” a associação. E os
investimentos que têm vindo a ser feitos — ontem foram benzidas novas viaturas
e os que contribuíram para a sua aquisição não foram esquecidos — “estão
relacionados com as carências que estavam identificadas”. E, afirmou Paulo
Dias, “a curto prazo” há a pretensão de fazer outros. Contudo, é importante que
“os decisores indiquem para onde querem que os bombeiros caminhem”.
Os serviços de transporte não emergente “tiraram
muitas receitas” e as execuções orçamentais “continuam altamente deficitárias”,
como tal, afirmou, “é importante que o poder central tome medidas para diminuir
esta questão. 
[foto e mais fotos

Jornalista Rute Melo