Em dia de apresentação dos candidatos autárquicos, PS “quer uma melhor terra para viver e investir”

0
4
Humberto Oliveira fez balanço do
seu primeiro mandato e Pedro Coimbra desafiou o país a mostrar “cartão vermelho
ao governo”
«Humberto [Oliveira] merece continuar,
não por ser candidato do PS, mas porque Penacova tem muito a ganhar com a sua
recondução». Quem o disse foi António José Seguro, que ontem participou na
apresentação dos candidatos socialistas à Câmara, Assembleia Municipal e juntas
de freguesias do concelho de Penacova, numa cerimónia integrada nas comemorações
do Dia da Federação de Coimbra do PS.
Num dia marcado pela denúncia à
Procuradoria Geral da República de que o partido estaria a ser alvo de escutas
ilegais, o líder do PS escusou-se a falar do assunto, preferindo enaltecer o
trabalho que Humberto Oliveira desenvolveu ao longo do mandato. «Falemos apenas
desta praça lindíssima. O Humberto, em quatro anos, fez esta obra e, hoje,
Penacova tem uma excelente sala de visitas que faz jus à simpatia e
hospitalidade do povo», frisou António José Seguro, que esteve no concelho pela
terceira vez, enquanto líder nacional do partido.
Horas antes da declaração do
Presidente da República ao país, Seguro falou também na falta de acordo para
uma solução de Salvação Nacional. «Fizemos tudo, mas mesmo tudo para chegar a
um compromisso», frisou, certo de que, no final, os portugueses ficaram a saber
que têm «uma alternativa sólida e realista que preconiza novo rumo, que passa
pela estabilização económica».
Pronto para mais um mandato à
frente do município, Humberto Oliveira apresentou um balanço do trabalho
realizado em quatro anos, como tinha acontecido há poucos dias na comemoração
do feriado municipal, com destaque para a requalificação urbana, saneamento ou
as obras para instalação do tribunal na Escola Maria Máxima. Para trás, ficou «um
árduo trabalho», por vezes, «invisível», frisou. «Temos de deixar um registo,
uma marca, linhas definidas. Queremos uma melhor terra para viver, para visitar
para investir», frisou.
Pedro Coimbra falou enquanto
recandidato à Assembleia Municipal e presidente da Federação Distrital do PS.
Deixou a garantia de que quando o Partido Socialista voltar a ser Governo
revogará a lei da agregação das freguesias. «Não estamos contra o ordenamento do
território. Estamos contra este ordenamento do território», sublinhou, deixando
um apelo para que, dia 29 de Setembro, seja mostrado «um cartão vermelho ao
governo», nas eleições autárquicas.

Mais fotos em Humberto Oliveira 2013