FUTEBOL DISTRITAL – Esperar três horas para conhecer o vencedor

0
2
União FC e Poiares proporcionaram um jogo emotivo, com muitos golos e que apenas se resolveu na “lotaria”. Os visitantes foram mais felizes
É daqueles jogos que podia ter “caído”
para qualquer um dos lados. União FC e Poiares encontraram- se, ontem à tarde, no
Campo da Feira Nova e proporcionaram um jogo interessante 
que valeu sobretudo pelos golos e
pela emoção, mais do que pela qualidade.
A primeira parte teve sinal mais do
Poiares. Aliás, a exibição dos locais foi muito contestada pelos próprios
adeptos. Quando muitos já pensavam no intervalo, eis que de um cruzamento
aparentemente inofensivo de Pequet surgiu o 0-1, com Ricardo a desviar para a
própria baliza.
Bem diferente (para melhor) foi a
atitude caseira no segundo tempo. Trabalhou muito ofensivamente 
para alcançar o empate, curiosamente,
Julinho teve nos pés o segundo dos visitantes, mas a bola foi devolvida pelo “travessão”.
Pouco de pois, na sequência de um canto (Diogo fez a defesa da tarde), Ruben
teve espaço para “fuzilar” as redes forasteiras.
No prolongamento, o domínio do União
FC aumentou e Rui estabeleceu de cabeça (após cruzamento de Colaço) a “cambalhota”
no resultado. O Poiares reclamou falta sobre o seu guardião, não atendida pelo “juiz”
do encontro. Quim “ameaçou” o empate, mas foi já em cima da mudança de campo que
surgiu nova igualdade. Narito teve espaço na área caseira e rematou sem
hipótese de defesa para Diogo Fernandes.
Na “quarta parte”, Quim esteve perto
de recolocar os forasteiros na frente, mas foi num lance de compêndio que Rui bisou.
O camisola 14 dos locais acelerou ainda no seu meio-campo, combinou com o recém
entrado João Simões e finalizou já na área poiarense.
Em vantagem, foi a vez do União FC
desperdiçar duas ocasiões: primeiro por João Simões que já tinha passado o guarda-redes
e atirou ao lado, depois foi Ruben que teve espaço, mas rematou à figura.
A festa dos locais terminou “à bomba”.
Lopes, do “meio da rua”, apontou o golo do jogo (3-3) e levou a decisão para as
grandes penalidades. Na “lotaria”, o Poiares foi mais feliz e Micael, ao 14.º
penálti, assegurou a passagem à 2.ª eliminatória. Três horas depois do início
do jogo…


UNIÃO FC 3 (5*)
Diogo Fernandes; Danilo (Fifa, 83’),
Ricardo, Batista, Lucas (João Simões,
105’), Marcelo (Rui Salvador, 70’), 
Rui, Marcos, Ruben, Joel (cap.) e Colaço.
Não jogaram: Pardal, André Costa,
André Santos e Hugo Costa.
Treinador: André Pimpão.
POIARES 3 (6*)

Diogo; Xiolas, Micael, Coimbra (cap.),
Tiago Pimenta, Sam, Narito, Renato 
Videira (Lopes, 105’), Julinho (Duda,
83’), Morsa e Pequet (Quim, 83’).
Não jogaram: Sérgio, João Marta,
Dani e Miné.
Treinador: Arlindo Marcelino.
Campo da Feira Nova, em Gavinhos. 
Espectadores: cerca de 200.
Árbitro: Pedro Nascimento. 
Auxiliares: Carlos Marques 
e Mário Simões. 
Ao intervalo: 0-1.
Final dos 90 minutos: 1-1.
Final dos 120 minutos: 3-3.
Golos: Ricardo (44’, p.b.), Ruben (78’),
Rui (96’ e 109’), Narito (105’) 
e Lopes (117’).
Penáltis: Colaço (falhou), Sam (falhou),
Joel (1-0), Xiolas (1-1), Ruben (2-1),
Lopes (2-2), Rui (3-2), Quim (3-3), 
Rui Salvador (4-3), Duda (4-4), 
Fifa (5-4), Narito (5-5), Batista (fora) 
e Micael (5-6).
Amarelos: Coimbra (66’), Batista (71’),
Renato Videira (74’), Pequet (80’),
Ruben (81’), Tiago Pimenta (85’) 
e Marcos (105’)