ESCUTEIROS de Figueira de Lorvão celebram 10 anos de aniversário

0
2
Cerca de 350 pessoas, entre escuteiros actuais e antigos, pais, amigos e familiares participaram nas comemorações dos 10 anos do Agrupamento 1316 de Figueira de Lorvão, realizadas no fim-de-semana, em Figueira de Lorvão, Penacova.

O momento alto viveu-se no domingo, com a celebração da missa
de acção de graças, celebrada pelo assistente do agrupamento, padre Pedro
Miranda, finda a qual foi entregue a “Cabeça de Lobo da IV Secção (condecoração
do Corpo Nacional de Escutas, CNE) à caminheira Cátia Costa, «pelo seu trabalho
e dedicação ao escutismo. Coube a Manuel Pedrosa, chefe regional de Coimbra do
CNE, entregar a condecoração.
Seguiu-se, junto ao Lar de Figueira de Lorvão, a entrega
de mais distinções, nomeadamente três diplomas de mérito, em sinal de
agradecimento pelo «apoio que o agrupamento tem tido ao longo dos anos» por
parte da Câmara de Penacova, da Junta de Freguesia de Lorvão e também do Conselho
de Pais (que inclui todos os pais dos elementos do agrupamento). Humberto
Oliveira, presidente da autarquia, e o vereador da Juventude e Desporto,
Ricardo Simões, bem como Pedro Assunção, presidente da Junta, receberam os diplomas.
Depois dos discursos habituais, escuteiros, pais, amigos e familiares juntaram-se
para, a uma só voz, cantar os “parabéns a você” e apagar as velas de um bolo
gigante, oferecido pelos presentes.
No sábado, primeiro
dia do evento, realizou-se um  acampamento
com todas as secções do agrupamento e foi inaugurada a exposição “10 anos a Construir”,
que apresenta o escutismo e a história do Agrupamento  1316 de Figueira de Lorvão, explicando, por
exemplo, os nós, os códigos e cifras ou como se faz uma maca.
A noite ficou marcada pela realização do “Fogo de Conselho”,
no salão de Figueira de Lorvão, onde se reuniram 150 pessoas. Um evento que
permitiu «recordar os 10 anos de história do agrupamento, através de pequenas
peças, preparadas pelas várias secções», refere a organização, enaltecendo o
facto de um grupo de pais ter participado activamente, cirando, inclusive, uma
canção para assinalar o momento.

Fonte DC