CENSOS SÉNIOR Há mais seniores a viver sós e isolados no distrito

0
3
Mulheres
a viver sozinhas são o dobro dos homens. Meia centena não tem telefone. Dados
são do Comando de Coimbra da GNR

Aumentou, no distrito de Coimbra, o número de
seniores que vivem sozinhos e/ou isolados. Neste momento, de acordo com dados
da GNR, são 1.565 os que vivem nesta situação no distrito, o que significa mais
273 casos de solidão e isolamento do que em 2013
.

Dos 1.565 registados, há 170 que vivem
sozinhos e isolados, o que, também neste caso, significa um aumento em relação ao
ano passado, em que foram registados 151 seniores a residir nestas condições.
Os números, revelados pelo Comando Distrital
de Coimbra da GNR, são parte integrante da Operação Censos Sénior 2014, uma
campanha promovida pela Guarda Nacional Republicana junto de seniores de todo o
país a viverem sozinhos e/ou isolados, e que aponta para um aumento, a nível
nacional, do número de cidadãos a viverem nestas condições. Uma tendência
sentida nos últimos três anos em Portugal.
Coimbra não é, de acordo com a GNR, o distrito
mais problemático. Viseu (ver página 18),Beja, Guarda, Évora, Portalegre e
Santarém continuam a ser os distritos com maior números de seniores em situação
de solidão e isolamento. No entanto, é notório, pelo menos em relação ao ano
passado, um aumento dos casos, tanto de solidão (mais 251 seniores), como de
isolamento (mais 27 seniores), como de ambas as situações (mais 19 casos) em
Coimbra.
Os dados revelados pela GNR de Coimbra falam
ainda em 75 situações que classificam «de algum risco», já que tratando-se de
casais de seniores e. por isso, não residem sozinhos, vivem numa situação de
isolamento. Houve, em Coimbra, uma diminuição destes casos. Curioso é perceber
que dos 1.565 seniores registados pela GNR, mais de mil (1.065) são mulheres –
também aqui houve um aumento – e 499 não têm telefone (no ano passado eram
405).
A Operação Censos Sénior 2014 realizou-se
entre 15 de Janeiro e 15 de Fevereiro, abrangeu a população sénior da área de
responsabilidade da GNR. Para além do registo dos casos de isolamento e
solidão, serviu para informar as entidades competentes de situações de potencial
perigo, sensibilizar a população para a segurança (reduzindo o risco de se
tornarem vítimas de crimes) e divulgar o “Programa Residência Segura” da GNR.
Esta campanha abrangeu, a nível nacional,
cerca de 94% do território nacional e 54% da população residente. Em Portugal há,
de acordo com a GNR 21.289 seniores a viverem sozinhos, 4.281 a viverem
isolados e 3.026 a residirem sozinhos e isolados. 5.370 são casais de seniores,
também eles vulneráveis ao perigo.
Texto de Ana Margalho, publicado no Diário de Coimbra de 12.03.2014