JOVEM encontrada no IP3 já está na Dinamarca

0
4
Rapariga de 15 anos viajou terça-feira para a Dinamarca. Tinha sido encontrada a circular no IP3 a 5 de março. Militares pretendem que a cadela que vivia com a jovem também siga para aquele país.

A
menor de 15 anos que foi encontrada a circular sozinha no IP3, com uma cadela,
já está no seu país de origem,
a Dinamarca, desde terça-feira. Em Portugal, e para desgosto da jovem, ficou a
cadela que a acompanhava e que, agora, as autoridades querem também enviar para
a Dinamarca.

seis meses que a jovem dinamarquesa estava em Portugal. Primeiro chegou com
autorização da mãe, mas
depois a estada acabou por se prolongar, como ontem disse Sandro Oliveira ao DIÁRIO
AS BEIRAS.
O
comandante do Destacamento de Trânsito da GNR de Coimbra contou que a jovem veio
por dois meses, que se estenderam a seis, e que no início “falava regularmente com
a mãe”.
Contudo,
porque tal deixou de acontecer, a progenitora, que reside na Dinamarca, deu
conta do seu  desaparecimento às
autoridades. Até que, a 5 de março, foi encontrada no IP3, a pé e com a cadela
Seamia consigo.
Desde
esse dia que os militares da GNR efetuaram todas as diligências para que a
jovem regressasse ao seu país. A extradição da menor foi coordenada pelo Tribunal
de Família e Menores com a Segurança Social, tendo a GNR assumido um papel
ativo no contacto com o país de origem para tratar
do
seu regresso.
Levar a cadela Seamia até junto da dona
Mas
se a jovem já chegou à Dinamarca, as autoridades querem agora satisfazer o outro
desejo da rapariga: levar a cadela Seamia até junto dela. Isto porque ambas viveram
juntas os últimos quatro meses e meio e a jovem não sossega enquanto não a
tiver ao pé de si. Aliás, não pretendia embarcar sem a levar consigo. “Criaram uma
relação muito forte”, realçou o capitão Sandro Oliveira, adiantando, ainda, que
o pouco dinheiro que a jovem conseguia era “para comprar comida para a cadela”.
 Nesse sentido, e depois de tratadas todas as
burocracias necessárias, nomeadamente passaporte canino, chip, vacinas, falta
angariar a verba para pagar o voo. Neste momento, e para que tudo seja tratado,
a GNR contou com a colaboração do Canil Municipal de Coimbra e dos próprios
militares. Faltam ainda cerca de 250 euros para pagar a viagem. Como tal, os
militares da GNR pretendem reunir esta quantia, podendo concretizar o desejo da
menor.
Os
interessados em contribuir, devem contactar a Agir pelo Animais e efetuar transferência
bancária daCaixa
Geral de Depósitos para a conta 0255 220 728 230, por transferência
Interbancária para o NIB 0035 0255
0022 0728 230 56 e depois enviar e-mail para agirpelosanimais@gmail.com indicando
o nome da cadela Seamia, bem como o nome completo, a morada e o NIF para que
possa ser emitido o recibo. Caso as ofertas excedam a quantia necessária, estas
reverterão para a associação Agir pelos Animais. | Rute Melo