ASSOCIAÇÃO DE COMBATENTES Mudança de timoneiro nos Combatentes de Penacova

0
3

No passado dia 30 de Março, a Associação de Combatentes do Concelho de
Penacova, em assembleia-geral para o efeito realizada, vê substituir o
presidente da direcção, que foi o principal mentor e lutador da sua criação.
Apesar das emboscadas encontradas, tendo pelo meio alguns ferimentos de
incompreensão, Alfredo Santos Fonseca vê o seu posto de presidente da direcção
sido ocupado por António de Miranda, dado que a sua saúde, ultimamente, não tem
sido famosa. Chegou a hora da rendição, mas não da derrota, porque aquele
sãopedralvense continuará a colaborar com a sua Associação.
Perante mais de sete dezenas de sócios e familiares presentes, tanto na
assembleia-geral como depois no almoço de convívio, ten­do como palco as
instalações do Restaurante «A Nora», em Miro, foram apresentadas as contas do
exercício de 2013, as quais apre­sentam os totais de 4.560,38 euros, em relação
à receita, e 3.650,00 euros, de despesa que dá, sub­traindo as duas parcelas,
um sal­do para 2014 de 922,28 euros. Em relação às despesas, regista-se a verba
de 3.540,00 euros respei­tante ao monumento; e à receita, as verbas mais
salientes são a co­brança de quotas, de 910,38 euros e os subsídios para o
monumento, da Câmara e de Juntas de Fregue­sia, 1.500 euros e 970 euros, res­pectivamente.

A união dos Combatentes prossegue

Consumada a assembleia, o presidente cessante, Alfredo Fonseca, depois
de conside­rar a Associação uma colec­tividade ainda jovem, mas «com um
percurso de traba­lho bem visível», ficou sa­tisfeito por ter encontrado quem
ainda se disponha «a prosseguir com este pro­jecto amistoso, unindo os
combatentes do concelho de Penacova», pois tem «na maravilhosa equipa, que se
disponibilizou a prosseguir nos coman­dos da Associação, a máxima esperança e
confiança», pois todos são «pessoas de bem» e por isso tem a cer­teza de que «a
Asso­ciação fica entregue em boas mãos». Dei­xando a sua sempre prestimosa
colabo­ração e porque deu a notícia do falecimento do combatente Antó­nio das
Neves Lopes, de Lorvão, todos guardaram um minuto de silêncio em sua memória.

«Estes heróis jamais poderão ser esquecidos e merecem todo o nosso
respeito»…
O novo presidente da assem­bleia-geral, António Arménio Aza­dinho
Cordeiro, que substituiu António Coimbra no cargo, fez a vida militar na Força
Aérea, mais propriamente na Base Aérea n.º 10, na Beira (Moçambique), mecâ­nico
dos aviões Nord Atlas, tam­bém conhecido por «Barriga de Ginguba», que
prestavam serviço de apoio, transporte e evacua­ções «aos nossos companheiros
em zonas de guerra no Norte de Moçambique», sendo desta for­ma que, «durante
mais de dois anos fui tendo conhecimento da realidade da guerra», considerou
António Arménio que «os verda­deiros Combatentes foram vocês e todos aqueles
que deram a vida numa guerra que não queríamos, que nos foi imposta…» e que,
posteriormente, «os sucessivos Governos e o Estado no seu todo tiveram
dificuldade em aceitar e procurar resolver os problemas do ex-Combatentes»,
porque embora «a guerra, com o 25 de Abril tenha acabado, deixou marcas e abriu
muitas feridas em companheiros nossos que ainda hoje estão a so­frer física e
psicologicamente». E o novo presidente da assembleia geral regista que nem tudo
foi ne­gativo, porque «a disciplina, o res­peito pelos outros, a solidariedade
e sobretudo a Amizade são alguns dos valores que aprendemos e que têm orientado
a vida de todos nós». Além do mais, como termi­nou, «estes heróis jamais
poderão ser esquecidos e merecem todo o nosso respeito».
O Presidente Miranda deixou a nota de que não
ficará sentado no sofá, pois honrará os desígnios da Associação mantendo a
união en­tre todos.
  
Na hora da tomada de posse, o abraço da
mudança registou-se no final da sessão, entre António Miranda e Alfredo
Fonseca. Se o primeiro, combatente na Guiné e que mantem laços fortes com
aquele país africano em termos solidários, e actualmente é presidente da
Assembleia-Geral da Associação de Bombeiros de Penacova; o segundo é uma figura
que ficará sempre marcada na história da Associação de Combatentes do Concelho
de Penacova, pois foi graças à sua perseverança, esforço e tenacidade que
conseguiu fundar a colectividade, não falando no seu forte empenho de cidadania
que ao longo dos anos tem exercido, já que tendo sido presidente da Junta de
Freguesia de S. Pedro de Alva e actualmente presidente da Casa do Povo, onde
tem marcado esse dinamismo e gosto por ajudar os seus conterrâneos, tudo em
nome da sua terra e do seu concelho; e como a velhice é um posto… seria bom que
os sãopedralvenses e os penacovenses em geral lhe prestassem uma homenagem, já
que, como escreveu Camões… «depois de morto, cevada ao rabo…».
Eis os novos corpos gerentes:
Assembleia-Geral – Presidente, António Miranda Azadinho Cordeiro; 1.º
Secretário, António Serafim Oliveira Gonçalves; 2.º Secretário, Arnaldo
Rodrigues Alves.
Direcção – Presidente, António Miranda; Vice-Presidente, Belmiro
Lopes Grilo; Secretário, Luís de Jesus Oliveira Amaral; Tesoureiro, Paulo
Sérgio Simões Silva; Vogais: Jorge Manuel Sande Leitão Ribeiro, José Maria de
Oliveira e António João Costa.
Conselho Fiscal – Presidente, António Dinis Fernandes; Secretário, Vítor
de Jesus Lopes; Vogal, Diamantino Rodrigues Almeida.