EN110 – Reabertura adiada mais uma semana

0
2

A Estradas de Portugal
(EP) anunciou que, para garantir condições de segurança de circulação na
Estrada Nacional (EN) 110, entre Coimbra e Penacova, é «necessário prolongar o
prazo de corte» da via por mais uma semana. «É possível estimar que, antes do
período da Páscoa, será efectuada a abertura ao tráfego, de forma alternada», refere
a empresa em nota de imprensa.
A EN 110 está encerrada
ao trânsito desde 15 de Janeiro, devido a duas derrocadas, na zona de Foz do
Caneiro, estando a ser intervencionada pela EP, desde 10 de Fevereiro, numa
empreitada orçada em cerca de 193 mil euros.
No âmbito dos trabalhos
em curso verificou-se que «durante a execução das pregagens necessárias para
estabilização do talude, a calda de impregnação do maciço começou a ser
perdida, face à elevada fracturação do terreno», explicou a EP. «A metodologia adoptada
permitiu efectuar 32 pregagens, distribuídas por sete níveis, com um rendimento
que previa a abertura de uma via ao tráfego na data que tinha sido inicialmente
estimada», prosseguiu. Ao «avançar para os níveis superiores, onde o maciço se
encontra mais degradado, concluiu-se que, para a garantia das condições de
segurança, será necessário prolongar o prazo de corte de vias por mais uma
semana», salientou a EP.
Após os trabalhos de
pregagem concluídos, ficarão por efectuar um conjunto de intervenções «não
críticas», como «drenagens, limpeza e projeção de betão, que implicarão o fecho
em períodos pontuais coincidentes com a altura do dia em que se regista menor tráfego»,
referiu a empresa.
A Comissão de Utentes da
EN 110 entre Penacova e Coimbra marcou para ontem, ao final do dia, uma vigília
no local da derrocada. «É com uma profunda indignação e revolta» que a Comissão
se «sente novamente enganada» pela EP, devido ao adiamento da reabertura da EN 110.
Com a vigília, a comissão protesta contra o que apelida de «incompetência e
desprezo pela população» que tem necessidade de utilizar a via, cuja reabertura
de uma faixa de rodagem que permita a circulação automóvel alternada tem registado
«sucessivos adiamentos ». Manifestando-se con tra «o constante desprezo» da EP
a comissão diz que vai «solicitar ao ministro da Economia a demissão» do
director da EP Coimbra/Norte.