SOLTEIROS/CASADOS – Encontro de penacovenses assinala 50º aniversário

0
2
Festa dos “Solteiros-Casados” cumpre amanhã 50 anos de existência, assumindo-se como encontro das gentes da vila


Quando há 50 anos um pequeno grupo de
penacovenses se juntou para um jogo entre solteiros e casados estava longe de
imaginar que, meio século depois, esse jogo continuaria a realizar-se e que o
pequeno encontro entre amigos se tornaria numa grande festa. Os “Solteiros-Casados”,
assim se designa o evento, continua a ter
jogo de futebol, mas a partida é apenas um pretexto para uma festa que é bem
maior.

Amanhã é dia de mais uma edição,
porque é Sábado de Aleluia. É sempre nesta data que se realiza o encontro que este
ano tem um sabor especial: a sua 50.ª edição.

Uma comissão de 12 jovens está
encarregue da organização, assegurando que nada falta nesta celebração de
penacovenses. «É o dia do ano que as pessoas de Penacova aproveitam para estar
juntas», resume Pedro Rico, da organização, garantindo que esta é uma edição
especial e, como tal, terá momentos únicos.

Um desses momentos será a leitura de
dois discursos de Artur Amaral, falecido há alguns anos, e que protagonizava sempre
um momento de grande entretenimento e humor ao ler, no cabo da ponte, um
discurso de sua autoria onde traçava o panorama do concelho.

Amanhã será feita uma homenagem, com
um minuto de silêncio, e lidos dois discursos da sua autoria (um deles o
primeiro), retomando-se uma tradição que nunca mais se cumpriu após a sua morte.
A tradição é retomada, também, em relação à localização da festa que, depois de
dois anos de experiência no Largo de S. Francisco, regressa ao Largo do
Terreiro.




A festa dos “solteiros-casados” começa
bem cedo, às 7h00, com a chegada ao “Terreiro” dos animais (porco) para a
tradicional matança do porco. Às 9h00 entram em cena os gaiteiros e uma hora
depois começam a acender-se as fogueiras, onde se vão grelhar as carnes do
almoço, que decorre ao estilo “piquenique” no local. Antes das chegada dos
comensais, provam-se as “águas de Monte Redondo de cor rouge”, para garantir
que a s pipas estão atestadas e a bebida assegurada. À tarde, pelas 15h30,
jogase o grande clássico entre solteiros e casados, no Campo da Serra, findo o
qual decorre a caravana que conduz a comitiva até ao cabo da ponte para a
leitura dos discursos e homenagem. A terminar o dia decorre o habitual jantar,
na Marisqueira de Penacova.

Texto de Margarida Alvarinhas