Porque deixei de fazer compras no Jumbo

0
2
O Jumbo de Coimbra já foi a
“minha mercearia”, onde fazia quase todas as compras. Há algum tempo que vinha
a reduzir as idas àquele supermercado, à medida que foram reduzindo o pessoal.
Agora acabou-se. E explico porquê:
Primeiro obrigaram os clientes a
pesar a fruta e legumes, despedindo trabalhadores, colocando-nos a trabalhar
gratuitamente para o Jumbo;
Depois reduziram os funcionários
na charcutaria e no talho, aumentando o tempo de espera, forçando o cliente a
optar por produtos embalados, sobre os quais é mais difícil avaliar a qualidade
e obrigando-nos a levar para casa maior quantidade de lixo de plástico;
Agora são cada vez mais as caixas
de pagamento automático (Quiq), levando os clientes que se recusam a aderir a
essa modalidade a aguardarem em demoradas filas para irem às caixas com
operadora.
Por mim, recuso-me a trabalhar
gratuitamente para o Jumbo ou para qualquer gigante do comércio e dessa forma
participar na destruição de postos de trabalho!
Confesso que não compreendo
aqueles clientes que, por vezes com as caixas vagas, optam por irem para as caixas
automáticas, sobretudo jovens, contribuindo para o aumento do desemprego de que
são as principais vítimas.
Será para “dar o golpe”, passando
alguns produtos ao lado e obterem assim a recompensa do seu trabalho?
Será porque querem dar uma imagem
de “modernaços”, mostrando que sabem lidar com os automatismos, como quem exibe
um telemóvel de última geração? Será porque não pensam nas consequências da sua
atitude?
Por mim, opto por lá não ir. Prefiro fazer as compras onde possa ao
menos falar com um/a funcionário/a, pedir opiniões, solicitar ajuda ou
apresentar sugestões e reclamações. Convido todos aqueles que pensam como eu a
fazerem o mesmo, ou então, quando confrontados com grandes filas nas caixas, a
abandonarem os carrinhos de compras nos corredores, como também já fiz. Se o
supermercado não mete funcionários
para nos atender, terá que os
arranjar para repor os artigos nas prateleiras!
Da última vez que fui ao Jumbo,
já só havia duas caixas com operadora. Conversei com a funcionária da caixa que
me parecia exausta, enquanto ela me fazia aquela série de perguntas automáticas
(se tem cartão, se quer aderir, se quer saco alternativo, blá, blá). Fiquei a
saber que são cada vez menos funcionárias, que nem conseguem ir ao WC quando
precisam, que até o tempo do xixi é cronometrado e que são frequentes as infeções
urinárias e outras doenças, a que acresce a sobrecarga de trabalho e falta de
folgas, sendo várias as funcionárias que não aguentam e ficam de baixa médica.
E depois também se diz por lá que
é para a Diretora da loja “ganhar mais uma medalha”.
Pois, daqui lhe digo: Comigo não
conta mais para esse campeonato!
Coimbra, 19/06/2014

Eduardo Ferreira