BOMBEIROS – Encerramento das comemorações do 84º aniversário

0
5
Para além das geminações, promoções, reconhecimentos,
bênção de cinco novas viaturas, o passado domingo, dia 13, ficará na história
da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Penacova, porque o Papa
Francisco enviou mensagem através do pároco local, Padre Laudo, lida durante a
sessão solene.
E foi dentro de aparato espectacular que as cerimónias
aniversariantes se realizaram, tendo em conta toda a panóplia de acontecimentos
que iam decorrer. E com a formatura de 120 elementos (homens e mulheres),
procedeu-se, com as forças da paz perfiladas, ao registo de um minuto de
silêncio em memória aos bombeiros dos quadros falecidos. Depois, a colocação
das fitas no estandarte da Associação em festa, que marca mais um aniversário,
e a de ge­minação entre as Corporações de Gouveia e Figueira da Foz.
As promoções e bênção de viaturas
Depois do presidente da Câmara de
Penacova ter passado em revista as forças em parada, procedeu-se à colocação de
divisas e
galões, cerimónia que,
como dis
se o comandante António Simões, «é uma cerimónia carregada
de simbolismo, mas também sempre muito marcante para que não se percam os
valores e as tradições». Depois d
e
no ano passado terem sido pro
movidos vários
bombeiros a 2.ª classe, este ano foram promovidos à categoria de 1.ª classe:
Marco Artur Coim
bra Oliveira, Ricardo
Bruno Esteves Almeida, Lídia Maria Jesus Mira, Nuno Alexandre Nogueira Luís,
Sérgio Manuel Ferreira Mesquita, Bruno Miguel Lopes Simões, Bruno Jorge Simões
Silva, Cláu
dio Rodrigues Amaral,
Carlos Au
gusto Nogueira Almeida, Filomena Sofia Lopes Simões, Fernando André Silva
Coimbra e Paula Cristina Neves Pereira Santos. Foi promovido à categoria de
chefe o subchefe Vítor Manuel Conceição Simões.

Seguiu-se a bênção de viaturas, pelo Padre Laudo; e foram benzidas: ABTM 05, baptizada «Povo de
Penacova», em homenagem de gratid
ão
por todas as campanhas de so
lidariedade ao
longo do ano de 2013; ABTM 09, benzida com o nome de «Fanfarra», em
reconhecimento pelo trabalho e dedicação de todos quantos têm sabido honrar o
nome da Associação através da Fanfarra; VETA 02, «Equipa de Salvamento em Grande Ângulo
“ESGA”», pelo trabalho, esforço e dedicação dos elementos desta equipa; VFCI
04, em homenagem póstuma ao adjunto Artur Dias; e VFCI 07,
«Corpo de Bombeiros», reconhecimento ao trabalho
de
todo o Corpo de Bombeiros
por ter sabido, mesmo nos momentos mais difíceis, salvaguard
ar a vida e os bens do povo e do concelho
de Penacova, viatura que veio substituir as que foram destruídas no incêndio em
11 de Agosto de 2013.
Sessão
solene com momentos marcantes
A sessão solene, que iria
realizar-se no salão nobre d
a
Associação em festa, teve cin
co pontos altos,
ao toque do Hino da Liga dos Bombeiros Portugueses, a assinatura de pro­tocolos
de geminação entre as Associações atrás referidas, «tendo o Rio Mondego como
inspirador», e com a Previdência Portuguesa («com o objectivo de promover e
divulgar os benefícios concedidos por esta Associação»); entrega de medalhas de
reconhecimento aos sócios com 2
5
anos de associados e com o va
lor das quotas
sempre liquidadas; a entrega de medalhas de assiduidade e atribuição do Crachá
de Ouro ao chefe Acácio José Batista Alpoim, com 35 anos de serviço em prol dos
Bombeiros.


Os sócios
reconhecidos:
Alípio José Simões
Olive
ira, António Marques Amaral, Artur
Silva Serra, Casa do Repouso, Armando Flórido Nogueira Seco, Fernando Nogueira
Dias, António de Sousa, Valdemar Barbosa Oliveira Le
ite, Horácio Luís Martins, Francisco Assis Solha
da Silva, Henrique Lopes Félix, Joaquim Lopes Grilo, Daniel Seco do Amaral,
Joaq
uim Batista Engenheiro, António
Lopes Batista, José Alberto Rodrigues Costa, Fernando José Alvarinhas Miguel,
Vítor Manuel Jesus Ferreira, Odete Maria de Jesus,
Eduardo Almeida Mateus, Dr. Joaquim Leitão Couto, António Sanches Feiteira, José Maria
Ribeiro dos Santos e Vítor Manuel Ralha Ribeiro.


Medalhas de
assiduidade:
5 anos – Carla
Filipa Bem-Haja Assunção, Sara Isabel Barata Delgado, João Filipe Silva,
Thierry Fernandes Silva, Carina Filipa Henriques Gomes, Hélder Jesus dos Santos
e António João Silva Soares, todos bombeiros de 3.ª classe.
10 anos – José Carlos Oliveira Almeida e Arménio
Jorge Manaia Almeida (da assembleia geral), tesoureira da direcção Maria Clara
Figueiredo Rodrigues Mateus, José António Nogueira Martins Almeida e Óscar Luís
Pereira Simões (bombeiros de 2.ª classe) e Elsa Maria da Costa Santos (bombeira
de 3.ª classe).
15 anos – Ricardo
Bruno Esteves Almeida, Tiago Antunes Martins
Flórido
e António Manuel Noguei
ra Antunes, bombeiros de 2.ª e
Fernando Augusto Alvarinhas, relator do conselho fiscal.
20 anos – António
Almeida Soares (vice-pres
idente da
direcção), António Vi
seu (secretário da direcção) Maria Alice
Jesus Pime
ntal (adjunta) e Armando
da Sil
va Soares (subchefe). 25 anos (dedicação) – Paulo
Manuel Almeida Dias (presidente da direcção) e António Simões Cunha Santos
(comandante).
Não
esquecida a Liga dos Amigos de Newark bem assim as geminações efectuadas
Se o presidente da assembleia-geral, António Miranda, deixou
palavras sentidas aos fundadores e seguidores da Associação, que lhe têm dado
um estatuto que permite às pessoas terem nela e no seu Corpo de Bombeiros
aliados na sua defesa e na defesa dos seus bens, sempre com «trabalho,
dedicação e empenho no bem servir», seria o presidente da direcção, Paulo Dias,
a evidenciar os actos que tinham sido realizados, bem como ter recebido,
naquele momento, Paula Freitas, presidente da Liga dos Amigos de Newark
(Estados Unidos da América), cuja colectividade jamais regateou esforços no
sentido de contribuir para a «minimização das nossas carências financeiras,
através de um conjunto de iniciativas bem-sucedidas por todo o empenho e
dedicação». Sobre os protocolos assinados a de geminação, entre as três
Associações – Penacova, Figueira da Foz, Gouveia – não se trata apenas de um
mero acto, pois tem como principal objectivo «promover a partilha do saber nas
especificidades que cada uma Corporação de Bombeiros detém na sua área de
intervenção através de acções de formação ou exercícios conjuntos ou até em
actividades operacionais programadas, o salvamento em ambiente de montanha,
intervenção em meio aquático, emergência pré-hospitalar, salvamento e
desencarceramento em acidentes rodoviários, vigilância às praias entre muitas
outras» e disse o presidente que espera que «este seja o primeiro passo de uma
parceria tripartida proveitosa para todos os envolvidos».
«Temos
que nos substituir ao Estado…»

Em relação às viaturas inauguradas,
destacou o «parceiro de referência», que é o Município, pois graças ao seu
contributo é possível
adquirir material que
«agora co
locamos à disposição dos nossos bombeiros e da
população», mas ressalvou que «não negociamos com a Autoridade Nacional de
Protecção Civil “uma mão cheia de nada”, pois demora no lançamento do concurso
para aquisição das
viaturas compromissadas
através do Quadro de Referência Estratégico N
acional
e porque se levantam in
certezas sobre «a celeridade
incrementada ao processo, mais uma vez tivemos que nos substituir ao Estado,
numa das suas missões primárias que é, no mínimo, o apetrechamento material
daquele que consideramos o principal elemento da Protecção Civil». Falando de
eleições na Liga, deixou já o voto de

apoio a Jaime Soares na sua re
candidatura, pois
«sabe que em Penacova tem um parceiro e um aliado». A finalizar, Paulo Dias
deixou agradecimentos particularmente à Câmara, que desde a primeira tomada de
posse de Humberto Oliveira os Bombeiros têm sido a sua prioridade, como
acentuou.
«Quem tem uma Associação como esta
deixa um comandante feliz…»

São palavras do comandante António
Simões, porque tem um grupo de trabalho que «nos orgulha e honra o concelho e
os Bombei
ros Portugueses», e que em relação
a material disse que «não pensamos pedir mais por agora, porque temos quase
tudo para as nossas actuações e serviços», pois o que falta «vamos conseguindo
com a população». Não deixando de elogiar a forma c
omo os conterrâneos norte-americanos “nos tratam quando a eles acorremos, bem como o
papel que tem tido a Câmara”, disse que «esta Associação está no coraç
ão da Liga, que considera o presidente como amigo, como vizinho e companheiro, que após
a sua entrada como presidente, Jaime Soares tem conquistado a confia
nça de todos, tendo tomado medidas que vêm ao
encontro dos Bombeiros, como o caso de segur
o
de acidentes pes
soais e que nunca houve tanta formação
como
agora. Sobre equipamentos de defesa
individual o Estado tem o dever de contribuir mas não pode ser o Estado a ter
essa missão, porque «não pensamos que se

façam decretos para comprar bo
tas, camisas,
calças, etc.». Por tudo isto, o comanda
nte
Simões deixou a nota ao Pre
sidente da Câmara, de que pode
dormir descansado porque tem uma Corporação à altura das circunstâncias.
O comandante
do CADES, António Ri
beiro, elogiou a forma como os Bombeiros
de Penacova se apresentaram. Notando ali bom ambiente, que ele se mantenha no
seio dos
Bombeiros, felicitou os bombeiros
do distrito de Coimbra, pela sua união e pela forma como sempre têm actuado.
Também deixou elogios à forma como a Câmara tem apoiado.
«Feliz o país que tem filhos como
estes que são os Soldados da Paz…»
Foram palavras de Jaime Soares, que
elogiou
os 84 anos da Associação de Penacova,
as relações amistosas que sempre manteve com os penacovenses, entendendo que os
Bombeiros de Coimbra orgulham os Bombeir
os
de Portugal, pela sua dedica
ção, empenho,
saber e trabalho. Enalteceu a forma

como os Bombeiros estão a atra
vessar auto-estradas, através de aproximação e entendimento
entre Associações, não por reacção, mas por formação e saber e por isso
falou da importância da geminação verificada na
bacia do Mondego, onde se pode

criar uma rede de comunicabili
dade, rigor e
disciplina. E sobre a forma como são adquiridos os equipamentos, Jaime Soares
culpou as CIM’s pelo atraso nas candidaturas, considerando ser «um descuido
grosseiro e grave», já que estes equipame
ntos
devem estar na primeira li
nha e, por conseguinte, «vamos
lutar por isto», assim como se lutará em termos de viaturas, fazendo com que a
burocracia não seja tão acentuada. Sobre comandos, disse haver uma coordenação,
sendo de opinião que haja um comandante autónomo, a fim de que possa actuar de
uma forma mais directa.
Simbolismo genuíno entre três
concelhos…
Humberto
Oliveira não deixou de evi
denciar a presença de Paula Freitas
e seu marido,
que nos Estados Unidos da
Améri
ca tem sabido honrar os pergaminhos dos Bombeiros de
Penacova, e considerou ser um simbolismo genuíno a geminação entre três
concelhos que são identificados com o rio Mondego, que banha oito freguesias e
duas
pelo Rio Alva. Também achou bastante
simbólico a bênção de cinco novas viaturas, uma delas para substituir aquele
que no ano
passado
ardeu no incêndio da Carvoeira,

juntando ali elementos de Bras
femes e Poiares
que na altura «acorreram a Penacova para nos ajudar» que apesar de voluntários
«trazem saber e técnica». Em termos de apoios, o Presidente da Câmara disse
que precisa «destes homens e mulheres para nos
defender», pois todos «os cêntimos são sempre poucos para cumprir a nossa obrigação»
e deixou a pergunta de que se fo
sse
a pagar em termos profissio
nais, quanto não seria preciso?
Referiu que em 2013 a
Câmara contribuiu com 350 mil euros,
com
contribuição especial à via
tura adquirida, e continuará a
apoiar, pois está sossegado quanto à parte financeira. E a terminar, Humberto
Oliveira lembrou uma frase
que tinha dito em
2011, que ne
nhuma troika poderá pagar aquilo que os
Bombeiros fazem.
Festival de Fanfarras
Depois
do almoço de convívio, e a cul
minar o dia
festivo, teve lugar o Festival de Fanfarras, no coração de Penacova, no qual
part
iciparam as Fanfarras de Brasfemes,
Cantanhede, Côja, Condeixa-a-Nova, Figueira d
a
Foz, Gouveia, Oliveira do Hos
pital e Penacova.
Mensagem do Papa Francisco
Durante esta
celebração foi recebida uma mensagem do Papa Francisco, a qual foi lida na
sessão solene e que reza assim:
«Sua Santidade
Francisco concede de cora
ção a desejada Bênção
Apostólica Coman
dante da Corporação de
Bombeiros Voluntá
rios de Penacova e invoca a abundância das graças divinas».