SOLIDARIEDADE – AD ELO ofereceu cadeira de rodas

0
1

No
decurso da presença da delegação da AD ELO – Associação de Desenvolvimento
Local da Bairrada e Mondego
em
Cabo Verde
, no âmbito do projecto transnacional “Cooperar em
Português”, a entidade associativa ofereceu uma cadeira de rodas a uma jovem
cabo-verdiana afectada por uma doença crónica grave que lhe condiciona fortemente
a mobilidade.
Integrada
numa família muito pobre, sem possibilidade de aceder a cuidados de saúde
mínimos, Daisy Cardoso, de 21 anos, vive na Ilha de Santiago, com uma autonomia
muito limitada devido à sua incapacidade motora, situação que passou a levantar
especiais dificuldades depois de ter sido mãe há cerca de um ano.
O
caso teve grande repercussão na televisão e noutros órgãos públicos de
comunicação social cabo-verdiana, tendo gerado uma onda de solidariedade a que
a AD ELO se associou, no exercício da função social que desenvolve, no caso vertente
no âmbito da cooperação com Cabo Verde.
A
cadeira de rodas foi entregue na Ilha de Santo Antão a Homero Fonseca,
jornalista da Televisão de Cabo Verde, pelo presidente da Direcção da AD ELO,
João Moura, acompanhado dos presidentes das câmaras municipais da Mealhada, Montemor-o-Velho
e Penacova, respectivamente Rui Marqueiro, Emílio Torrão e Humberto Oliveira.
Aquele
profissional de comunicação social cabo-verdiano tem sido um dos grandes activistas
da campanha solidária em benefício de Daisy Cardoso e será ele a fazer chegar o
equipamento à jovem, na Ilha de Santiago, criando, assim, condições para que
tenha a mobilidade necessária para desenvolver a sua vida de mulher e mãe com
mais segurança e conforto.
A
delegação da AD ELO, recorde-se, inaugurou, na Ilha de Santo Antão, o sistema
fotovoltaico instalado no âmbito da cooperação da AD ELO com a AMI-RIBEIRÃO –
Associação de Desenvolvimento Integrado da Comunidade de Ribeirão. Em
funcionamento experimental desde 2013, o sistema foi instalado na sequência das
acções de sensibilização realizadas pela AD ELO para as entidades
cabo-verdianas no sentido da utilização da energia eléctrica de fonte renovável
associada ao sistema de bombagem de água que serve os agricultores.
Os
resultados entretanto evidenciados mostram que tem contribuído de forma muito
positiva para a redução dos custos energéticos da associação e de forma geral
para a sustentabilidade da comunidade, tendo sido considerado «um exemplo a
seguir por todo o país», conforme sublinhou a ministra do Desenvolvimento Rural
de Cabo Verde, Eva Ortet.