SOBREIRA – Corpo de jovem desaparecida em julho, encontrado em matagal próximo de Fontão

0
1
O corpo que foi descoberto num terreno na aldeia de Fontão
(Mouronho – Tábua), foi entretanto identificado por familiares, três dias após
o macabro achado.
Trata-se de uma jovem de 22 anos, que estava desaparecida
desde Julho deste ano, e que era residente na localidade de Sobreira, Paradela
da Cortiça (Penacova).
Entretanto apurou-se junto de fontes próximas da família,
que a jovem ter-se-ia deslocado desde a sua residência até Arganil, onde terá
sido vista pela última vez nas imediações do Intermarché, e também por essa
ocasião, o telemóvel foi desligado, tendo a jovem ficado incomunicável.
Esta, não teria sido a primeira vez que a Andreia
“fugia” de casa, e segundo a mesma fonte, por detrás do
desaparecimento, terão estado sempre (…) «troca de mensagens pelo facebook» e
pelo telemóvel.
A descoberta do cadáver fez com as autoridades policiais
recuperassem o caso do desaparecimento, e a relação dos dois casos foi
conseguida após a Polícia Judiciária ter chegado à fala com um dos irmãos da
jovem desaparecida que, de imediato, reconheceu as peças de roupa encontradas
no Fontão, e que eram as mesmas que a jovem vestia aquando do desaparecimento.
Descoberta
macabra
Na terça-feira, dia 18 de Novembro, trabalhadores da Junta
de Freguesia de Mouronho, que procediam à desmatação de um terreno, encontraram
um cadáver em adiantado estado de decomposição, nas imediações da aldeia de
Fontão.
Na altura, segundo informações obtidas junto dos Bombeiros
Voluntários de Tábua, ficou a saber-se que se tratava do corpo de uma mulher,
já que junto ao cadáver foram encontrados os sapatos, calças e um sutiã.
Com contornos ainda por apurar, a mesma fonte revelou que só
tinha sido encontrado parte do corpo (…) «apenas a parte dorso e a mandíbula»,
uma vez que as buscas encetadas pelos próprios bombeiros e pelas forças
policiais na procura dos membros (superiores e inferiores) e do crânio, se
revelaram infrutíferas. No local, junto ao corpo, foi ainda descoberto o cabelo
da vítima, tudo indicando, para já, que terão sido animais a remover as partes
do corpo desaparecidas, explicaram ainda os Bombeiros.
Acompanhado de perto o caso, deu-se como certo que o corpo
não seria de qualquer residente, quer da freguesia, quer do concelho de Tábua,
uma vez que não havia registo de desaparecimentos.
Entretanto, três dias após o macabro achado, surge a relação
entre o achado e o desaparecimento da jovem Andreia, cujo desfecho é conhecido.
Mas como é que a Andreia foi para o Fontão? Quando é que
foi? Com quem foi? Como é que tudo aconteceu?
As respostas a estas questões só serão conhecidas quando a
Policia Judiciária concluir as investigações. | Paulo Mattos Afonso