PATRIMÓNIO – Município inicia intervenção na Livraria do Mondego

0
3

Parcialmente destruída com a construção do
IP3, nos anos 90 do século passado, a Livraria, situada no sítio de Entre
Penedos, assinala o local onde o Mondego, até aí um rio de montanha com caudais
fortes, se espraia numa paisagem mais aberta em direção a Coimbra e ao mar.
Em comunicado, a Câmara Municipal, liderada
pelo socialista Humberto Oliveira, revela que celebrou, na terça-feira, com a
empresa Ramos Catarino Dois Arquitetura de Interiores e Construção, o auto de
consignação da obra de preservação do património natural da Livraria do Mondego.

Este projeto, financiado com fundos
comunitários do programa Leader ADELO, “vai permitir preservar, valorizar,
dinamizar e promover o território e, nomeadamente, aquele núcleo
geológico”, construindo “as acessibilidades a pontos fulcrais que
permitam devolver este espaço de excelência natural” às populações.

“Mais uma iniciativa que visa promover o
turismo e o tecido económico de Penacova e da região, devolvendo às pessoas
este local sublime de interesse nacional e que Penacova tem para mostrar”,
afirma Humberto Oliveira, citado na nota da autarquia.

Natural do concelho, o historiador de arte
Nelson Correia Borges apoia “qualquer iniciativa para valorizar” o
que resta da Livraria do Mondego, que “era um ponto forte da paisagem de
Penacova”.

“O mal está feito. Foi um crime contra a
natureza e a paisagem”, disse à agência Lusa o ex-professor da Faculdade
de Letras da Universidade de Coimbra, considerando que “foi um disparate
terem construído” a ponte do IP3, sobre o Mondego, naquele local,
destruindo uma parte do geomonumento.

“Na altura, fui a única pessoa que
protestou”, recordou Nelson Correia Borges, que há cerca de 25 anos
publicou um artigo no Diário de Coimbra a criticar a decisão.

A Estradas de Portugal recomenda a visita à
Livraria do Mondego, um “monumento natural esculpido pelo tempo” ao
longo de 400 milhões de anos e “constituído de altas assentadas de
quartzitos silúricos que constituem uma magnífica paisagem”.

No seu portal, a empresa pública realça que o
sítio geológico tem “acesso direto e privilegiado a partir da EN
110”, sendo ainda “bem visível para quem circula no IP3 na zona da
ponte sobre o rio Mondego”.

“Este espaço natural vai ficar dotado de
miradouros, percursos de visita devidamente sinalizados, guardas de segurança e
pontos de descanso, parque de estacionamento para 23 veículos e ainda dois
minicais para ancoragem da barca serrana, permitindo que os visitantes tenham
uma panorâmica única da Livraria do Mondego a partir do rio”, salienta a
Câmara de Penacova.