CIÊNCIA VIVA – 2015 vai ter mais um segundo

0
2


Sabemos
que a Terra tem um movimento de rotação em torno do seu eixo. Temos a ideia de
que um dia é o intervalo de tempo para a Terra dar uma volta completa. Mas o
que porventura nem todos saibamos é que a velocidade de rotação da Terra está a
diminuir. E que a duração do dia solar não é a mesma ao longo do ano. Estes factos obrigam a correcções na chamada
Hora Civil.

A Hora Civil, em qualquer país, determina-se em
relação à posição média do sol no céu local. Mas como a duração do dia solar
não é constante durante o ano, há diferenças entre a hora solar verdadeira e a
Hora Civil que tem uma progressão uniforme. Historicamente, definiu-se a escala
de tempo UT1 baseada na duração média da rotação da Terra que, actualmente, é
medida em relação às posições celestes dos quasares mais distantes.

A
rotação da Terra é estudada com rigor e medida com precisão atómica, desde 1972,
pelo Serviço Internacional de Sistemas de Referência e Rotação da Terra (sigla
IERS, do inglês International
Earth Rotation Service
), do Observatório de Paris.

A introdução de uma rede de relógios atómicos para medir com maior
precisão a passagem do tempo e definir a escala do Tempo Atómico Internacional
(TAI), verificou existir uma diferença de dezenas de segundos para com a hora então
usada (UT1).

Desde então, efectuam-se correcções regulares para tentar acertar
os relógios astronómicos com os atómicos. O último acerto foi em 2012.

De facto, a necessidade de coordenação entre as escalas do Tempo
Atómico, definido pelos relógios atómicos, e do Tempo Astronómico (escala UT1
definida pela rotação real da Terra) conduz ocasionalmente à introdução de
“segundos intercalares” no Tempo Universal Coordenado (UTC), para que a
diferença entre ambas (UT1-UTC) permaneça inferior a 1 segundo.

Para manter esta proximidade temporal, o IERS determinou
ser
necessária
a introdução de um “segundo intercalar
no UTC, que define actualmente a Hora Legal Civil, no final de Junho de 2015.

Assim, e em Portugal continental, e em termos
práticos, será necessário “parar” os relógios durante um segundo quando forem
00h 59m 59s do dia 1 de Julho.

Diga-se ainda que a necessidade deste acerto provém ainda do facto
da duração do “segundo” no Sistema Internacional de Unidades (ligado à escala TAI)
ser mais curta do que a duração actual do “segundo UT1″ da rotação da Terra. Ou
seja, a rotação completa da Terra dura cada vez mais tempo na escala TAI.
O Observatório Astronómico de Lisboa (OAL) é a
instituição que tem a incumbência legal de manter e distribuir a Hora Legal em
Portugal.

Para acertar o seu relógio, e o do seu computador,
com a hora certa e acompanhar a introdução do segundo intercalar, siga as
instruções indicadas no sítio na Internet do OAL: http://oal.ul.pt/hora-legal/como-acertar/

António Piedade
Ciência
na Imprensa Regional – Ciência Viva