DIVISÃO DE HONRA Líderes sem margem para muita poupança

0
4

A
18.ª jornada da Divisão de Honra não deverá trazer grandes
mexidas na tabela, em que as cinco equipas da frente pretendem
angariar o triunfo com maior ou menor dificuldade. Os líderes
Penelense e Académica/ SF, ambos com 37 pontos,têm, à priori, uma
ronda não muito difícil de gerir.
A
formação de Penela viaja até Arganil, para defrontar o “lanterna
vermelha, com apenas 7 pontos, enquanto que os estudantes recebem o
Condeixa no Universitário de Coimbra, para mais uma partida em que
se perspectiva alguma dose de tranquilidade para o conjunto orientado
por Bruno Ferreira.
Se
as duas equipas que lideram a prova parecem ter um conjunto de
encontros tranquilos, a surpresa, no entanto, pode estar ao virar da
esquina, com o Vigor, na qualidade de anfitrião, a medir forças com
o Febres, terceiro classificado, a escassos dois pontos do topo e com
menos um jogo. Trata-se de um curta viagem para formação do
concelho de Cantanhede mas que não deixa de ser de risco elevado,
até pelo peso da perda de pontos que possa vir a representar.
O
União FC parece ter perdido algum fulgor relativamente ao início do
campeonato, mas não se pode deixar de sublinhar o seu percurso na
prova. A derrota sofrida pela margem mínima (1-0) no último
compromisso com a Académica/SF, em Coimbra, provocou a queda para a
4.ª posição, com os mesmos pontos do Febres, mas agora recebe o
Lagares da Beira com o objectivo de voltar às vitórias para não
deixar fugir a carruagem da frente.
Carapinheirense
joga em Mira com o Touring
A
solidez constante do Carapinheirense verificada no início da prova
parece ter-se desmoronado ligeiramente. No entanto, a vitória em
Condeixa na ronda anterior, por 1-3, coloca a formação liderada por
António Cortesão na rota de todas as possibilidades para responder
cabalmente no confronto com o Touring, em Mira.
A
Académica/OAF de José Viterbo vai ser de novo colocada à prova
quando defrontar o Pampilhosense de Carlos Alegre, em Pedrógão
Grande, embora o factor “casa”, neste caso em particular, pode
não ter efeitos práticos.
O
Eirense, liderado por Tó Miranda, desloca-se à Tocha para baralhar
as contas ao técnico Pedro Fonseca e acender a chama da
tranquilidade, situação idêntica com o Ançã de Paulo Taraio na
deslocação ao Cova-Gala, de Rui Camarão.

Texto de Carlos Sousa


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui