STAL em luta pelas 35 horas nas câmaras do distrito de Coimbra

0
3

Depois de dois dias a afixar faixas,
pendões, distribuição de comunicados aos trabalhadores, passagem de música de
intervenção, nos concelhos de Arganil, Gois, Tábua, Pampilhosa da Serra, Lousã,
Soure, Montemor-o-Velho, Mira, Cantanhede e Figueira da Foz, a direção regional
de Coimbra do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local e Regional,
Empresas Públicas, Concessionárias e Afins vai, deslocar-se amanhã, à
Associação Nacional de Municípios.
“Há precisamente 592 dias, começou a
luta contra o aumento do horário de trabalho, na altura emitimos providências
cautelares que mantém o horário de trabalho nas câmaras de Penacova, Mira e Miranda
do Corvo, com as quais é urgente assinar o ACEP, para garantia do horário de
trabalho de 35 horas semanais”, sublinham os representantes do sindicato
adiantando que “depois de um longo período de negociações, pela luta assinaram-se
acordos com seis autarquias do distrito, nomeadamente, Góis, Lousã, Soure,
Montemor-o-Velho, Pampilhosa da Serra e Coimbra, mantendo as 35 todas à exceção
de Soure e Pampilhosa”.
Em nota enviada à comunicação social,
o sindicato adianta que “as câmaras de Cantanhede, Figueira da Foz, Condeixa,
Arganil, Tábua, Poiares, Oliveira do Hospital e Penela têm as 40 horas semanais
aplicadas, sem darem espaço à negociação do ACEP, que permite a redução do
horário semanal de trabalho”. Também as “autarquias de Soure e Pampilhosa da
Serra recuaram, aplicando as 40 horas”, sublinham, garantindo que “a luta pelas
35 horas não vai parar” e por isso, os ativistas vão estar hoje em Condeixa,
Miranda do Corvo, Penela, Poiares terminando em Coimbra.