STAL em luta pelas 35 horas nas câmaras do distrito de Coimbra

0
5

Depois de dois dias a afixar faixas,
pendões, distribuição de comunicados aos trabalhadores, passagem de música de
intervenção, nos concelhos de Arganil, Gois, Tábua, Pampilhosa da Serra, Lousã,
Soure, Montemor-o-Velho, Mira, Cantanhede e Figueira da Foz, a direção regional
de Coimbra do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local e Regional,
Empresas Públicas, Concessionárias e Afins vai, deslocar-se amanhã, à
Associação Nacional de Municípios.
“Há precisamente 592 dias, começou a
luta contra o aumento do horário de trabalho, na altura emitimos providências
cautelares que mantém o horário de trabalho nas câmaras de Penacova, Mira e Miranda
do Corvo, com as quais é urgente assinar o ACEP, para garantia do horário de
trabalho de 35 horas semanais”, sublinham os representantes do sindicato
adiantando que “depois de um longo período de negociações, pela luta assinaram-se
acordos com seis autarquias do distrito, nomeadamente, Góis, Lousã, Soure,
Montemor-o-Velho, Pampilhosa da Serra e Coimbra, mantendo as 35 todas à exceção
de Soure e Pampilhosa”.
Em nota enviada à comunicação social,
o sindicato adianta que “as câmaras de Cantanhede, Figueira da Foz, Condeixa,
Arganil, Tábua, Poiares, Oliveira do Hospital e Penela têm as 40 horas semanais
aplicadas, sem darem espaço à negociação do ACEP, que permite a redução do
horário semanal de trabalho”. Também as “autarquias de Soure e Pampilhosa da
Serra recuaram, aplicando as 40 horas”, sublinham, garantindo que “a luta pelas
35 horas não vai parar” e por isso, os ativistas vão estar hoje em Condeixa,
Miranda do Corvo, Penela, Poiares terminando em Coimbra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui