FUNDAÇÃO MATA DO BUÇACO – Milene Matos vence prémio da Fundação Yves Rocher

0
2


Após 12 anos de investigação científica sobre o património natural
da Mata Nacional do Buçaco, Milene Matos vê o seu trabalho ser reconhecido num
prémio que valoriza os projetos femininos a favor do ambiente
,
atribuído pela Fundação Yves Rocher.
Em setembro de
2003 a ainda estudante de biologia da Universidade de Aveiro (UA), Milene Matos
fez a sua primeira visita à Mata Nacional do Buçaco dando início a uma extensa
e importante investigação sobre o património natural deste local, que culminou
na sua tese de doutoramento “Diversidade de Vertebrados na Serra do Bussaco e
áreas envolventes” (2011).

Milene Matos
desenvolveu atividades educativas e de promoção regulares, que se revelaram de
extrema importância para a Mata, refletidas nas centenas de utentes logo no
primeiro ano de operacionalização, mas também proporcionou inúmeras parcerias
estratégicas que foram estabelecidas com vista à divulgação, conservação e
proteção do património natural.

O resultado
deste trabalho é reconhecido sobretudo no impacto ambiental e social,
principalmente para a população reclusa que colabora com a Fundação Mata do
Buçaco, F.P. (FMB, F.P.) desde 2010, que através deste projeto viu ser possível
uma reintegração na sociedade.
A
bióloga da UA concorreu ao Prémio Terre
de FEMMES
2015 com o tema “Biodiversidade para todos” na Mata Nacional do
Buçaco, que tem como objetivo “usar o património natural, histórico e
cultural inigualável da Mata Nacional do Buçaco como veículo para a construção
de um serviço educativo com funções pedagógicas, mas também sociais e de
promoção/proteção da biodiversidade. (…) Pretende-se demonstrar que a
educação ambiental e para a sustentabilidade cabe a todos e que todos “cabem
nela” também. (…) Este entrosamento tem revelado aspetos não totalmente
previstos também a nível social, tendo-se demonstrado, por exemplo, que este
modelo tem resultados tangíveis na reinserção social de reclusos, no combate ao
isolamento de idosos, no comprometimento de crianças e jovens com a
biodiversidade, e no envolvimento da sociedade civil e do tecido empresarial
para as questões de ambiente. O objetivo maior é mostrar a biodiversidade como
um elemento unificador a todos os níveis. É um valor de todos e para
todos.”, como refere Milene Matos na sua candidatura.
Para
a FMB, F.P. este é um prémio de extrema importância para a projeção
internacional dos valores do património natural da Mata, mas também um
reconhecimento social das competências científicas de excelência que colaboram
com a FMB, F.P., como é o caso da bióloga Milene Matos.
O
concurso Terres de FEMMES da Fundação Yves Rocher “destina-se a apoiar
financeiramente ações exemplares levadas a cabo por mulheres, a favor do
ambiente (…) O Prémio Terres de FEMMES é constituído por um Prémio Nacional, um
Prémio do Público e um Grande Prémio Internacional”, conforme se lê no website
yvesrocher.pt
Os
países a concurso nesta edição são: França, Alemanha, Rússia, Suíça, Marrocos,
Ucrânia, Polónia e Portugal.
Milene
Matos venceu o Prémio Nacional, no valor de 5000€, que será investido no
desenvolvimento do projeto, nomeadamente em material pedagógico, como
equipamentos para a sala didática, livros, entre outros, mas também para a
aquisição de árvores para a reflorestação das áreas arrasadas pelo Ciclone Gong
a 19 de janeiro de 2013. A ideia de Milene Matos é multiplicar este donativo
com estratégias abrangentes, para que tenha um verdadeiro impacto positivo na
gestão diária da Mata.
O
concurso não acaba aqui, sendo que a 1º premiada de cada Prémio Nacional Terre
de FEMMES concorre ao Grande Prémio Internacional Terre de FEMMES, a atribuir
no mês de abril em Paris, e ainda ao Prémio do Público através de uma votação
online de 9 a 21 de março no site www.terredefemmes.org.

Texto de Ana Mannarino

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui