JUSTIÇA – Mulher acusada de sequestrar técnico da PT em Penacova

0
2

Uma funcionária da
Casa Diocesana de Retiros de Penacova, de 50 anos, vai sentar-se no
banco dos réus, amanhã, pelo crime de sequestro, segundo a acusação
do Ministério Público. 
Em causa está o facto de
ter retido dentro de muros, contra sua vontade, um técnico da PT, em
28 de Fevereiro de 2014.

Segundo a acusação, o
homem deslocou-se ao local, na Rua Cova do Barro, cerca das 10h00,
para prestar assistência técnica, por indicação da empresa, e a
pedido da arguida, porque existiria uma avaria na linha que serve os
elevadores.

O técnico verificou toda
a linha de rede e informou a senhora de que, no que respeitava à
Portugal Telecom, estava tudo a funcionar bem, pelo que a avaria
deveria ser reparada pela empresa que faz a manutenção dos
elevadores.

Foi nesta altura que as
coisas começaram a correr mal, pois, segundo o Ministério Público,
a arguida disse que não permitia que saísse do local enquanto a
avaria não estivesse reparada, e, mesmo perante a «insistência do
ofendido para que lhe telefonasse logo que o técnico dos elevadores
efectuasse a reparação», a mulher, «utilizando o comando à
distância, fechou o portão de acesso e impediu a saída do local».

O homem ainda terá
verificado se conseguia sair saltando o muro, mesmo deixando a
carrinha para trás, mas mudou de ideias ao verificar a altura, pelo
que contactou um responsável da PT, que chamou a GNR de Penacova.

Na verdade, garante a
acusação, «mesmo depois da presença da patrulha da GNR, que se
deslocou ao local, a arguida só permitiu a saída do veículo
conduzido pelo ofendido, e deste, conforme informou, porque o técnico
dos elevadores já ali se encontrava, cerca das 11h15 horas e fechou,
de imediato o portão», pelo que, uma vez que «agiu, com o
propósito de limitar a liberdade de agir e decidir» do homem, que
foi obrigado a permanecer no espaço da Casa de Retiros, a mulher é
acusada de um crime de sequestro.