DESPORTO – Depois de Penacova, Carlos Sá vai tentar abrir dez centros de Tail Running em Portugal

0
3
No próximo dia 17 de julho, o Município de Penacova inaugurará o
primeiro Centro de Tail Running by Carlos Sá do país. O atleta nacional mais
reconhecido a nível internacional revela ainda que pretende criar dez
Centros com a sua marca nos próximos tempos.


O que é um Centro de Tail Running?
É um local organizado com vários percursos sinalizados, com
sinalética específica e homologada pela Associação de Trail Running Portugal,
com caraterísticas únicas para a prática da modalidade.
Em concreto, quais as
caraterísticas que um Centro de Tail Running deve possuir?
Em primeiro lugar, deve estar inserido num local de beleza natural
apetecível para a prática da modalidade e ter grande variedade de elementos que
estimulem a corrida na natureza, como “single tracks”, subidas e descidas
desafiantes, presença de elementos naturais que obriguem a transposição de
obstáculos e variações de ritmo. Em segundo lugar, deve ter percursos
devidamente sinalizados, que permitam uma prática segura da modalidade em
autonomia, a exploração de vários trajetos numa determinada área, bem como
proporcionar aos seus utilizadores o conforto de poderem ter, ao ser dispor,
balneários e um serviço de bar no final da sua atividade. Para além destas
caraterísticas, um centro de trail poderá oferecer outras possibilidades, sobre
as quais de momento prefiro deixar em aberto.
O que um centro poderá trazer de positivo para a modalidade?
A possibilidade de mais pessoas poderem experimentar a modalidade,
com a segurança de percorrerem trilhos especialmente marcados para o
efeito sem qualquer custo, trará uma maior “democratização” à modalidade, o
que, acredito, estimulará a sua prática.


Como funcionam estes centros? São
abertos aos atletas em geral? Os trilhos são fechados, por exemplo?
Os trilhos pertencentes aos centros de trail estão abertos a quem
os queira percorrer, quer sejam principiantes na modalidade ou campeões na
mesma. Eles estão sinalizados, de acordo com a sinalética emanada pela ATRP
(Associação de Trail Running Portugal), com um código de cores, de acordo com o
nível de dificuldade que oferecem, de forma a que o seu utilizador escolha de
forma adequada o/os percurso/os a fazer. Existirão ainda painéis colocados em
locais apropriados, que terão informações várias para esse efeito
(nomeadamente, a distância e desníveis – positivo e negativo – de cada
percurso).
Sendo responsável pelo circuito, o que pretendeu incluir nos
trilhos? E a quilometragem deste? Há quantos trilhos?
Correndo o risco de parecer pretensioso, tentei seguir a marca dos
trilhos que elejo nas provas que organizo, privilegiando o que de mais bonito
existe na natureza da região. Serão vários trilhos, numa extensão total de 80
quilómetros, com vários níveis de dificuldade/desafio.
Este tipo de centros existe no
exterior? Onde ficam os principais? São países que estão na ponta do trail
mundial?
Existem vários a nível mundial, como em França, Espanha, Suíça e
um pouco por toda a Europa. Creio que o futuro do Trail passará também por
estes centros, se os mesmos tiverem a sua divulgação necessária. Um atleta em
viagem ou um grupo de amigos em qualquer altura pode descobrir estas zonas em
segurança, caso contrário só em dias de eventos.



Como surgiu esta associação da
sua parte com o município de Penacova?
Proponho-me criar 10 Centros de Trail em Portugal. Penacova foi o
primeiro a criar as condições para que possa colocar de pé este projeto. Outros
se seguirão…
E como tem sido a resposta
política a este projeto?
Tem havido uma dinâmica muito saudável entre ambas as partes, pelo
que acredito ser um projeto que tem tudo para dar certo. Estamos perante uma
das modalidades que mais cresce e que começa a ser vista como oportunidade de
promoção turística.
Quais as principais dificuldades
que tem encontrado na construção destes centros?
A falta de tempo, da minha parte, uma vez que estou com muitos
projetos ao mesmo tempo. Tenho a carreira de atleta para gerir, várias provas
por realizar e que me desgastam imenso, como o caso do Peneda-Gerês Trail
Adventure, colaborar com patrocinadores, palestras nas escolas e empresas,
família, etc. Mas estou a criar condições para dar resposta a tudo isto.
De certo modo, ao pensarmos na existência de um centro para o
trail, e como aliás aconteceu com outras modalidades, comprova-se que a
modalidade já exige outras estruturas. Acredita que o romantismo, a “pureza” do
trail tem os dias contados?
Não, de todo. Acredito que esta é uma forma perfeitamente “pura”
de praticar a modalidade e tem a vantagem de permitir que mais pessoas a
experimentem, desfrutando dos trilhos destas regiões e partilhando o mesmo
gosto com os seus amigos. Já nas provas, acredito que esse mesmo “espírito do
trail” no futuro possa se perder um pouco, mas estará cá os centros como
alternativa.
Para quando a inauguração?
No dia 17 de Julho, altura das festas do Município de Penacova,
serão inaugurados os primeiros circuitos. Todo o centro de trail ficará
concluído no final do mês de Setembro próximo.

Entrevista de Pedro Alves