ASSEMBLEIA MUNICIPAL – Sem alaridos… apenas os subsídios sobressaíram

0
1


Calma e com pouco tempo de demora, a sessão da Assembleia Municipal de
Penacova do passado dia 27 de Junho de 2015. Um ou outro deputado, que gosta de
usar o seu dom de bom orador, pondo um ar chistoso nas suas observações,
dirigidas a outros colegas (não da mesma bancada) que não estavam presentes,
esta sessão ficou-se pela paz e concórdia, apenas sobressaindo, na quase
totalidade dos pontos da Ordem de Trabalhos, os 15 relacionados com a
atribuição de subsídios às autarquias do concelho, destinados a aquisições de
material e a obras. Realce para o presidente da Câmara que nesta data faz com o
Município tenha uma margem financeira estável, assim discriminada: total de
disponibilidade, 3.572.640,74 euros; montante de operações orçamentais,
3.281.151,28 euros; e operações não orçamentais, 291.489,46 euros.

Observações positivas e concretas

Contudo, alguns-outros deputados,
tendo o grupo, desta vez, tido pelo meio algumas substituições e faltas, ainda
assim, foram levantadas algumas observações positivas e concretas. Se uns se
regozijaram pelo sucesso da ExpoAlva, realizada pela União de Freguesias de S.
Pedro de Alva e S. Paio do Mondego, que muito contribuiu para o envolvimento
comercial, cultural e recreativo da região, por parte de Cristina Roma e
Conceição Cordeiro, enquanto o presidente Vítor Cordeiro, aproveitava para
agradecer o apoio dado ao certame em todas as frentes, sobretudo da Câmara
Municipal, com apoios financeiros e logísticos, enquanto outros deputados
chamaram a si a referência de certo estado de coisas que devem ser resolvidas,
pelo menos pelo Município, aproveitando para perguntar ao edil camarário como
está a questão do posto dos CTT, o qual respondeu que «o caso não está
esquecido»

Por exemplo, Azougado
da Mata, entre outras coisas, perguntou qual o motivo por que não foi posto em
funcionamento o saneamento da Rebordosa; Eduardo Ferreira falou da falta de
abertura de restaurantes ao domingo, em Penacova e qual o destino a dar ao
edifício do hospital de Lorvão, que o presidente respondeu poder vir a ser um
espaço de cultura e turismo ou a parte de artes e ofícios; a Tânia Martins,
foi-lhe res­pondido que os cemitérios da Eirinha, da Carvoeira, são da responsabilidade
da Junta de Freguesia, enquanto o de Gondelim é dele responsável a Irmandade
local, embora tanto num como noutro caso, quando há obras de fundo a realizar, é
a Câmara Municipal que se põe em campo; Sandra Ralha defendeu-se de acusações
menos correctas que têm vindo a lume em áreas de comunicação, que repudia; o
alargamento da estrada S. Mamede-Paradela por Óscar Simões, mas que o
presidente respondeu: «vamo-nos agora concentrar na estrada de S. Mamede e
depois vamos a seguir ao pedido formulado», pedindo também alguns
esclarecimentos sobre as contas da Penaparque2, que lhe foram dados por quem
sabe da matéria. Ainda teve dom de palavra o presidente da freguesia de
Penacova, Vasco Viseu, relembrou que, em relação às vias de comunicação em mau
estado, são as do Sanguinho, de Malhadas, na Cheira e de Carvoeira, devido à não
concretização da obra de saneamento; o pontão da Quinta da Ribeira; a falta de
intervenções nos Parques Municipal, Verde, Santo António, Penedo do Castro e o
Mirante, dizendo que «continuo a dizer que o Parque Municipal deve ser
devolvido às pessoas».

Agora vamos aos subsídios

Sobre os apoios dados pelo Município
às Freguesias, eis a lista e que todos os pontos foram aprovados por
unanimidade:

Carvalho
Aquisição de um roçador, 200€; de um computador, 389,82€; e de um soprador,
325,01€.

Oliveira do
Mondego/Travanca do Mondego –
Para obras corres­pondentes
a 50% das obras de reabilitação do Parque Infantil do Porto da Raiva, 3.771,50€;
para obras de reabilitação do Parque Infantil do Coiço, 50% da verba atribuída,
3.800,10€; 50% das obras de reabilitação das escolas
 primárias de
Cunhedo e Paredes, 6.414,34€.

Penacova – O
total do valor das obras e capela do cemitério da Carvoeira, 10.676,76€; e a
mesma percentagem, no valor de 10.601,91€, para a capela e obras do cemitério
da Eirinha.

Friúmes/Paradela – Apoio
de 50% para aquisição de um frigorífico, 109.50€:

Lorvão – Aquisição
de um esquentador, 50% do valor, 242,93€; apoio a 50%, no valor de 1.291,50€,
para software autárquico; e apoio à Feira das Tradições, a 100%, 13.566,90€.
Sazes de Lorvão – Aquisição
de computador, a 50%, 437,50€.

S. Pedro de Alva/S. Paio do Mondego – Para apoiar a ExpoAlva, a
100%, 26.309,70€.



José Travassos de Vasconcelos