LEGISLATIVAS – PS apresentou 20 medidas para um distrito “forte e dinâmico”

0
2
Um quadro negro da atual
governação, traçado pela cabeça de lista do PS pelo círculo de Coimbra às
Eleições Legislativas, dominou a apresentação do programa eleitoral do partido
ontem à tarde. Helena Freitas dirigiu-se às largas dezenas de pessoas que
encheram o café Santa Cruz, “socialistas ou não, mas que, todas, querem a
mudança”.
Começou por explicar a razão de
ter aceitado – sendo independente – o convite de António Costa para ser cabe-
ça de lista: “o estado do país e efeito das medidas do atual Governo”. Na sua
perspetiva, foi “um falhanço total”.
A professora da Universidade de
Coimbra, que deixou o cargo de vice-reitora para se candidatar à Assembleia da
República, fez as contas e identificou que 300 milhões de euros foram retirados
da economia da região nos últimos quatro anos.
No mesmo período, segundo Helena
Freitas, foram destruídos 8.700 postos de trabalho, de que resultou “um grave
problema social que levou, desde o início de funções do governo PSD/ CDS-PP, a
uma diminuição de 11.100 pessoas ativas no distrito”.
Na sua perspetiva, “o balanço é
igualmente dramático na área social”: mais de três mil idosos do distrito
deixaram de receber complemento solidário e outros tantos, carenciados,
deixaram de receber rendimento social de inserção. Ainda no distrito de
Coimbra, O número dois da lista, que é também presidente da Federação Distrital
do partido, destacou que “em cada um de nós está assumida a responsabilidade da
defesa intransigente das causa do PS e do distrito”, referindo-se às 20
propostas “abrangentes, sérias e credíveis”, que a lista apresenta ao
eleitorado de Coimbra, com a primeira a “reforçar o papel do distrito de
Coimbra nas decisões políticas e estratégicas para Portugal”.
Destaque para o mandatário e o presidente de honra

Mais do que os candidatos que
fazem parte da lista, quem ontem brilhou – naquela que pode ser designada a
cerimónia de lançamento da pré-campanha eleitoral do PS no distrito – foram o
mandatário nacional do partido, António Arnaut, e o presidente da Comissão de
Honra distrital da candidatura, Gomes Canotilho. Mais arrebatador, o conhecido
advogado de Coimbra, disse que “temos de ganhar as eleições no distrito de
Coimbra, para conquistarmos uma maioria parlamentar”, que classificou de
“patriótica e de esquerda”. Nesse sentido, dirigiu-se aos candidatos a deputados
para lutarem “por um sentido ético e dimensão humana na política”, considerando
que a presença do professor de Direito Gomes Canotilho “responsabiliza todos os
candidatos a deputados pelo Círculo de Coimbra”.