TAÇA DE PORTUGAL – União FC quer ser “David” contra “Golias” Rio Ave

0
0
O Campo
da Feira Nova é um local de sonhos. Sonhos de crianças que, por verem os
grandes ídolos pelos relvados do mundo, iniciam a prática futebolística no
União FC. Sonhos de gente que trabalha para ver o clube crescer. Sonhos de quem
ama sem receber, dá sem esperar nada em troca, sente a camisola. O próximo sonho,
com início marcado para as 15h00 de amanhã, do emblema de Figueira de Lorvão,
Penacova, é o maior de todos os tempos para o clube que conseguiu, com duas
vitórias (1-4 diante do Rabo de Peixe e 3-1 com o Camacha), chegar até à 3.ª
eliminatória da Taça de Portugal onde o sorteio ditou um cruzamento que os unionistas
pretendem ser entre “David e Golias” diante do primodivisionário Rio Ave.
David era
pequeno. Golias gigante. As hipóteses do primeiro vencer eram diminutas mas o
inesperado aconteceu, David triunfou pela força de vontade. É isso mesmo que,
segundo Cláudio Garcia, os “seguidores” do União FC podem esperar: «Uma equipa
aguerrida, com um objectivo muito claro no jogo, acima de tudo uma
força e ânimo enorme para mostrar que quem compõe este clube merece ser olhado
da melhor forma», referiu o treinador. Cláudio, que tem 38 anos e já chegou,
enquanto jogador do U. Coimbra, aos oitavos-de-final da maior taça do futebol
nacional, espera que «seja um dia muito desagradável para o Rio Ave e
histórico para o União FC». E, no caminho da história, de que forma é que o
comandante desta nau unionista tem sentido os jogadores? «Estiveram mais
compenetrados, falaram menos do que o habitual e “fecharam-se” um pouco com um
semblante mais sério e carregado. Sabem que é uma grande oportunidade para
eles, mas sem que isso lhes tire a alegria, que é algo que se sente muito neste
grupo», respondeu o técnico.
Numa
semana que considerou como «atípica», devido ao alarido mediático que tem
envolvido o plantel, Cláudio Garcia afirmou conhecer «muito bem» a valia dos vila-condenses
e também sabe, porque Pedro Martins e observadores do clube de Vila do Conde
viram desafios dos unionistas, que os visitantes de amanhã estão avisados para
«não facilitar» num embate que já é histórico, pois será a primeira vez que o
emblema do município de Penacova defronta uma equipa do primeiro escalão do
futebol nacional.
Chegar ao
CNS é objectivo
Em
relação à Divisão de Honra AFC, na qual o clube já perdeu pontos e se encontra
na 11.ª posição da prova, com uma vitória, um empate e uma derrota, o objectivo é
«vencer o campeonato» e, como é assumido por Cláudio Garcia, «chegar ao
Campeonato Nacional de Seniores», concluiu.
Goleadores
Jocy Barros e Jessi Tati nasceram em S. Tomé e Príncipe e,
quando se fala de golos, é mesmo deles o “principado” nessa área no União FC e
seguem ambos com 2 golos na Taça de Portugal, tendo a dupla obtido 4 dos 7
tentos da equipa na competição.
«Deus queira que
marque, seria o meu primeiro golo contra uma equipa de I Liga e qualquer
jogador tem o sonho de marcar num jogo destes», afirmou Jessi Tati que veio do
Ançã para o União FC com ambição de ser figura de proa nos unionistas.
Com a consciência de
que um golo seu pode «valer milhares de euros», o dianteiro revelou que o grupo
«está tranquilo» e que será assim que entrará em campo no duelo com os
“gigantes” de Vila do Conde lembrando que os «craques e profissionais são eles»
e que a turma unionista «não tem qualquer tipo de pressão para vencer».
Jessi descreveu o
desafio da 3.ª eliminatória da Taça como o «ponto alto» da sua carreira
enquanto jogador que até lhe pode «servir de montra» para os outros voos onde
pensa e quer chegar enquanto atleta.
Também de Jocy, tal
de como Reinaldo, que deverão formar o “trio” atacante da equipa, se pretende
que estejam num dia inspirado para escreverem os nomes na história do clube. 
Longevidade

Joel Batista
é quem, na tarde de amanhã, irá envergar a braçadeira de capitão do União FC no
capítulo histórico para o clube. Joel é, também, alguém que cresceu com o
emblema dos unionistas ao peito e que, instado a falar acerca disso, não se
acanhou: «Não conheci outro clube na vida, comecei a jogar no clube com 12
anos, inclusive tive o prazer de ser capitão em todos os escalões, gosto imenso
deste clube, cresci imenso aqui como jogador e homem».
Com 26
“primaveras” e médio centro, o jogador falou de «esperança» relativamente
a um hipotético resultado positivo diante dos vilacondenses mesmo
dizendo que «vai ser muito complicado». De pés bem assentes na terra, ou não
fosse ele o “capitão”, Joel declarou que a equipa está pronta para «aproveitar
as falhas do Rio Ave» e sabe que terão de estar «concentrados» para não cometer
erros que possam ser fatais em campo. Em relação à Divisão de Honra, o jogador
também apontou a subida como meta.
Clube já lucrou cerca de 10 mil euros e
mantém rota do sonho na Taça
2.000
euros por participação, 3.000 por passar na 1.ª eliminatória, 4.000 por passar
na 2.ª e o União FC, com esta “aventura” na Taça, já lucrou perto de 10.000
euros. Quem confirmou esta informação foi Pedro Assunção, presidente dos
unionistas, com a certeza de que o dinheiro será investido «no projecto da
subida ao CNS e na melhoria de infraestrutura do clube». Para Pedro, vencer
amanhã, é «um sonho».