LITERATURA – Sónia Carvão apresenta livros para miúdos e graúdos

0
1

Foi nas sessões de Filosofia para
e com crianças no Colégio Pirilampo, em Cascais, que Sónia Marques Carvão
recorria aos contos que foi escrevendo. As histórias suscitavam enorme
interesse e curiosidade nos petizes, o que motivou a autora a editar, por sua
conta, 150 exemplares do livro “A ferramenta que faz os contos”. Uma obra com sete contos traduzidos também em inglês.

O sucesso da edição de autor fez
com que, num curto espaço de tempo, os livros desaparecessem. Para responder à procura
de muitos interessados, Sónia Marques Carvão decidiu colocar a sua obra ao
dispor através de uma nova edição da Chiado Editora. Mas, o interesse
manifestado pelo conteúdo dos contos foi também despertado pelos professores,
que procuraram saber mais sobre a metodologia e a relação entre os contos e a
Filosofia para e com crianças. Nesse sentido, a autora editou um novo livro que
explica precisamente a metodologia usada. Os dois livros foram lançados nopassado dia 10 de Outubro, na Associação de Bem-Estar Social, em Alcabideche.
ACTUALIDADE Sónia Carvão apresenta livros para miúdos e graúdos Sónia Marques
Carvão apresentou as suas obras literárias “A ferramenta que faz os contos”.

O JR falou com a escritora sobre
os livros: ‘A ferramenta que faz os contos’
é um livro bilingue, com sete contos, que pode ser lido por toda a gente. É
para os pais lerem aos mais pequeninos, para as crianças do 1.º ciclo lerem e
até para os adolescentes lerem dependendo da interpretação que têm”. Segundo a
autora, “é uma obra para crianças e para adultos. Porém, foi escrita com o
intuito de a poder usar nas minhas sessões de Filosofia com crianças, na altura
no Colégio Pirilampo. É uma obra inspirada em muitos filósofos, entre eles
Ludwig Wittgenstein que, por sua vez, se inspirou em muitos outros e daí toda a
minha caminhada para além das minhas vivências e referências”
.

Sobre a publicação da metodologia
da obra, Sónia Marques Carvão disse que a mesma foi sugerida pelo professor
universitário Joaquim Pinto, da Universidade Católica e Universidade de
Évora, como apoio ao uso dos contos nas
aulas do ensino convencional, de cidadania e de Filosofia com Crianças. “A
metodologia, sendo aberta tal como o livro de contos, pode ser também uma
ferramenta. Não pretende ser um livro de regras estáticas e fechadas mas vivas
e abertas”
, realçou. O livro da metodologia conta com o prefácio de
Elisabete Proença, directora do Colégio Pirilampo, e o posfácio de Eugénio
Oliveira, presidente da Associação Portuguesa de Ética e Filosofia Prática. Os
livros estão à venda pelo preço de 12 euros, sendo um euro doado para a
Associação de Bem Estar Social, em Alcabideche. “Escolhi a Associação de Bem Estar Social de Alcabideche porque é uma
instituição que precisa de apoio para manter as actividades e é um modo de
promover o espaço, para além de, na mesma, ter dado aulas de alfabetização
durante três anos”
, salientou a autora. 
Sónia Marques Carvão nasceu no
Rio de Janeiro, veio para Portugal ainda criança, cresceu numa aldeia do
Concelho de Penacova (Chelo) da freguesia de Lorvão. Enquanto jovem, foi viver
para Coimbra e começou a trabalhar para continuar a estudar. Aos 18 anos,
emigrou para o Canadá, onde trabalhou e estudou. Obteve a Licenciatura na
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.
Realizou um curso relacionado com Filosofia para/com crianças, obtendo também a
Certificação em Filosofia de Educação. Tem também um Curso de Formação Avançada
em Ética pela Universidade Católica de Lisboa, uma certificação em Inteligência
Emocional e Autoconhecimento e Curso Internacional de Filosofia Aplicada e uma
certificação como facilitadora de filosofia para crianças e jovens, pela
Direcção Nacional da Associação Portuguesa de Ética e Filosofia Prática.

Sinopse
A ferramenta que faz os contos incide no movimento pedagógico, que tem como percursor Matthew Lipman, nomeadamente  a filosofia para crianças.

Este movimento, partindo de histórias, promove o sentido reflexivo e pensamento da criança que se interroga sobre o mundo. O objetivo não é responder às crianças, pelo contrário, é deixá-las questionar permanentemente. Questionando em conjunto, a criança reflete sobre o seu pensamento e o dos outros. A filosofia está em tudo o que nos rodeia, na contemplação, nas sensações, explorando permanentemente o pensamento e a curiosidade através da contemplação.