COMUNICADO – CDU de Penacova toma posição acerca da Via dos Duques e o IP3

0
1
Está a decorrer o período de
discussão pública do projeto VIA DOS DUQUES, que se prevê ser a futura
autoestrada Coimbra-Viseu.
Segundo consta no Estudo Prévio
das Infraestruturas de Portugal, I.P., esta via tem por objetivo ligar a A13
entre Ceira e Viseu, com passagens e ocupação de alguns troços do IP3,
prevendo-se ser toda portajada.
Na última fase, está previsto o
alargamento do troço entre Penacova e a A1, que fica fora daquela via,
“com eventual instalação de portagem”.
A ser construída segundo o traçado
proposto, é de supor que obrigue a grandes e altas pontes, grandes obras de
betão, grandes impactos visuais e paisagísticos bastante negativos, afectando
duas áreas verdes da região: a mata nacional de Vale de Canas e a serra do
Bussaco, com custos elevados que os contribuintes vão ficar a pagar por várias
gerações.
Segundo este Estudo Prévio, os
penacovenses passariam a ter portagens à porta, qualquer que fosse a saída que
procurassem.
O PCP de Penacova não se opõe a
que seja construída uma autoestrada que ligue Viseu a Coimbra. Mas o que os
comunistas de Penacova não aceitam, e estamos certos que também os restantes
penacovenses, é que façam a autoestrada em cima do IP3 e das estradas já
existentes, como fizeram no IP5, com portagens ou pórticos sucessivos e custos
elevados de circulação, deixando os utentes sem alternativa.
E a prova dessas intenções está à
vista no Estudo Prévio: A 1ª fase da obra é a instalação de portagens no único
troço que já tem esse perfil, como se vê:
Não é obra nova, é a cobrança de
portagens no que já existe!
A concretizar-se o que está no
estudo prévio, o trânsito iria cair nas estradas municipais e a passar dentro
das localidades, com encargos elevados de manutenção para as autarquias locais
e o maior isolamento das populações com a redução de nós de acesso.
O que o PCP reclama e Penacova
deve exigir é a urgente reparação do IP3 entre a Espinheira e o Botão, o
alargamento de todo o traçado para as quatro faixas, com os taludes seguros,
sem lençóis de água, com separador central, sinalização adequada, caminhos
paralelos, nomeadamente entre Oliveira do Mondego e Coiço e melhorar o acesso à
Zona Industrial de Telhado/Alagoa.
O que queremos é o IP3 ao serviço
de Penacova e das suas populações e empresas e não como fonte de receita das
concessionárias de autoestradas. 
A Comissão Concelhia de Penacova.