CIÊNCIA – Investigadores da Universidade de Coimbra procuram idosos voluntários para projeto + Memória

0
2
Uma equipa de duas dezenas de
investigadores da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da
Universidade de Coimbra (UC), coordenados pelos Professores Mário R. Simões e
Jorge Almeida, está a desenvolver um estudo que visa avaliar a melhoria da capacidade de Memória no envelhecimento.
Em projetos anteriores, investigadores
do Centro de Investigação do Núcleo de Estudos e Intervenção
Cognitivo-Comportamental (CINEICC) desenvolveram de raiz um programa de treino
cognitivo
 e aplicaram-no em pessoas idosas com diagnóstico de
doença de Alzheimer (fase inicial)
.  Este programa,  que evidenciou «ser
bastante eficaz»,
 é constituído por
exercícios de treino das capacidades mnésicas baseados em técnicas já testadas
quanto à sua eficácia (aprendizagem sem erros, recuperação espaçada, eliminação
de pistas, etc.).
Agora, a equipa pretende testar
um programa semelhante em idosos saudáveis, com o objetivo de verificar a sua eficácia na prevenção do declínio da
memória
, típico do envelhecimento normal: projeto +Memória.
Nesse sentido, os
investigadores estão a solicitar a colaboração
de pessoas com 60 ou mais anos
, independentes,
para participarem no programa composto por 15 sessões presenciais, que decorrem
de segunda a sexta-feira na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
da UC. Os voluntários podem inscrever-se através do telefone: 239 247418 ou do
endereço eletrónico:
maismemoria@fpce.uc.pt.
O programa de estimulação de
memória
desenvolvido no âmbito da pesquisa, financiada pela Fundação Bial e
pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), consiste «num conjunto de tarefas com diferentes níveis de dificuldade, entre as
quais, associação de faces e nomes, aprendizagem e evocação de listas de
palavras (p. ex., lista de compras) e visualização de cenários visuais
complexos (p. ex., paisagens), entre outras
», explicam Ana Rita Martins e
Lénia Amaral, investigadoras no projeto.
O plano, que inclui ainda «a estimulação neuronal (estimulação direta
do cérebro)
», fornece estratégias que «possam
melhorar a capacidade mnésica dos idosos, ou seja, apresenta uma abordagem
eficaz para prevenir o declínio da memória, uma das principais capacidades
cognitivas que diminui com o envelhecimento. O objetivo é treinar a capacidade
de memória de forma a melhorar o desempenho diário dos participantes e prevenir
o declínio, promovendo um envelhecimento saudável
», realçam as
investigadoras do CINEICC.