CIÊNCIA VIVA – O céu de Dezembro de 2015

0
1


Júpiter, o maior planeta do
Sistema Solar, afasta-se a passos largos do Sol no céu, nascendo depois da uma
da manhã no início deste mês, mas terminando dezembro (e 2015) a passar acima
do horizonte cerca das 23h15.

Já Saturno fará a sua
reaparição nas madrugadas da segunda quinzena de dezembro, depois de ter
cruzado o Sol no céu. E com Vénus a aproximar-se cada vez mais da nossa estrela,
vai-se aproximando também de Saturno, com os dois planetas a caminho de terem
um “encontro imediato” no próximo mês.

Mas antes disso, o céu a
Sudeste, ao amanhecer, vai estar autenticamente engarrafado, com a Lua a passar
por Júpiter (dia 4), Marte (dia 6) e Vénus (dia 7).

Além destes facilmente
observáveis objetos do Sistema Solar, há ainda um outro na vizinhança – o
cometa C/2013 US10 (Catalina). Com uma magnitude de 4,8, este cometa é
observável com uns simples binóculos, e passará este mês a viajar da
constelação da Virgem para a do Boieiro. Os melhores dias para o encontrar
serão o dia 8, quando faz um triângulo com a Lua e Vénus, e na passagem de ano,
quando estiver quase colado à estrela Arcturus.

No dia 10, a Lua passa a menos
de 4 graus de Saturno, mas essa observação será um desafio dos grandes. Às 7h15,
com o Sol a apenas meia hora de estar acima do horizonte, Saturno estará apenas
2 graus acima do horizonte (cerca de um polegar, à distância de um braço
estendido), e a Lua estará quase, quase Nova, com apenas 1,3% do disco lunar
visível. No dia seguinte, ocorrerá a Lua Nova.


Dia 14, por volta das
18 horas, será o máximo da chuva de meteoros das Geminíadas. Esta chuva tem um número
previsto de meteoros por hora de 120 (em céus escuros), e com a Lua num fino
crescente a não atrapalhar as observações, esta poderá ser uma noite bastante
interessante para observar meteoros.

Às 04h48 do dia 22
ocorre o solstício de Inverno (no hemisfério Norte), altura em que entraremos
oficialmente no Inverno. Este é o dia mais pequeno do ano, e aquele em que o
Sol, ao meio-dia, atinge a altura mínima de todo o ano.

Neste solstício, o
Porto irá ver o Sol nascer às 7h57 e pôr-se às 17h09, totalizando apenas 9h13m
de dia. Em Faro nasce às 7h42 e põe-se às 17h19 (9h41m de duração do dia),
enquanto no Funchal, nascimento e ocaso ocorrem pelas 8h06 e 18:06 (10h00m de
luz), respetivamente. Em Ponta Delgada (menos uma hora que o Continente), o Sol
irá nascer às 8h55 e pôr-se às 18h28, somando 9h34m de luz do dia.

O dia de Natal deste
ano trás uma prenda acrescida – uma Lua Cheia. E mesmo a terminar o ano, a Lua
passará a apenas 5 graus do planeta Júpiter.
Boas observações e votos
de um 2016 repleto de céus limpos.
Ricardo Cardoso Reis (Planetário do Porto e
Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço)
Ciência na Imprensa
Regional – Ciência Viva

Legenda das Figuras:
Fig1: O céu virado a Sudeste,
às 6 da manhã de dia 8 de dezembro. Nesta imagem também está indicado o trajeto
do cometa C/2013 US10 (Catalina) até ao último dia do ano – 
(Imagem: Ricardo Cardoso Reis
/Stellarium).
Fig2: O céu virado a Este às
20h00 do dia 14 de dezembro, com indicação do radiante da chuva de meteoros das
Geminíadas – 
(Imagem: Ricardo Cardoso Reis
/Stellarium).